Google+ Badge

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

PRATICANDO A PALAVRA



  1. TIAGO Cap.1:19-27

    Começar o estudo de um livro da Bíblia não é muito diferente de se preparar para uma viagem: queremos saber para onde estamos indo e o que veremos.

    Talvez a melhor maneira de dar início a um estudo sobre a Epístola de Tiago seja respondendo a quatro perguntas importantes: 1) Quem foi Tiago? - 2) Para quem Tiago escreveu? - 3) Por que Tiago lhes escreveu? – 4) Como aproveitar ao máximo este estudo?

    Antes de começarmos propriamente nossa meditação, desejo dizer-lhes que não iremos aprofundar na resposta de cada uma da indagações acima. Pois o espaço aqui é curto, mas iremos dizer-lhes apenas o básico e necessário à nossa reflexão.

    1. Quem foi Tiago? “Tiago servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” 1:1a. É assim que ele se apresenta. Tiago era um nome bastante comum, uma variação da designação Jacó do Antigo Testamento. Encontramos vários homens com esse nome na história do Novo Testamento. Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João. Tiago, filho de Alfeu. Tiago, pai de Judas o discípulo e Tiago, irmão de nosso Senhor Jesus Cristo. Parece ser o candidato mais provável à autoria desta carta. Mateus 13:55,56 e Marcos 6:3. Afirmam que Jesus tina irmãos e irmãs, e um deles se chamava Tiago.

    2. Para quem Tiago escreveu? Para as “doze tribos que se encontram na dispersão” 1:1b. Tiago escreveu a judeus que viviam fora da Palestina. O termo “doze tribos” pode significar apenas o povo de Israel, a nação judaica. (Atos 26.7). O fato de muitos judeus viverem fora da Terra Prometida mostra o declínio espiritual de sua nação naquele tempo.

    Os cristãos judeus espalhados por todo o império romano tinham necessidades e problemas específicos. Pelo fato de serem judeus, sofriam a rejeição dos gentios, e, pelo fato de serem judeus cristãos, eram rejeitados pelo próprios compatriotas. Essa carta indica que a maioria desses cristãos era pobre e que alguns deles eram oprimidos pelos ricos.

    3. Por que Tiago lhes escreve? Ao ler a Epístola de Tiago, observamos que esses cristãos judeus tinham problemas em sua vida pessoal e na congregação. Dentre outras coisas, passavam por grandes provações e enfrentavam tentações. Alguns cristãos davam toda a atenção aos ricos, enquanto outros eram roubados pelos ricos. Os membros da igreja competiam por cargos de liderança, especialmente na área do ensino. 

    Uma das principais dificuldades da igreja era que muitos de seus membros não viviam de acordo com sua profissão de fé. Além disso, a língua também causava problemas sérios, a ponto de gerar conflitos e divisões na congregação. Outro problema dizia respeito à mentalidade mundana. Alguns cristãos  estavam desobedecendo à Palavra de Deus e, por causa disso, ficaram fisicamente enfermos; alguns estavam se afastando do Senhor e da igreja. Enfim, faltava-lhes a maturidade espiritual.

    4. Como aproveitar ao máximo este estudo? Uma vez que o tema é maturidade espiritual, é bom começar examinando o próprio coração para ver em que fundamento estamos na vida cristã. O crescimento espiritual deve ser medido de acordo com as Escrituras. Não se deve usar como modelo a vida de outros cristãos, mas sim a Palavra de Deus e o Filho de Deus.

    Nem todos que crescem em estatura crescem em maturidade. Há uma diferença em crescer e amadurecer. Cristãos maduros são cristãos felizes e úteis, que ajudam a encorajar outros e a edificar sua congregação. Com a ajuda de Deus, ao estudar juntos a Epístola de Tiago, aprenderemos e cresceremos em maturidade.

    PARE DE SE ENGANAR – Tiago 1:19-27

    v.19 – Pronto para ouvir – “Quem tem ouvidos para ouvir ouça” (Mt 13.9). “E, assim, a fé vem pelo ouvir da pregação, e a pregação pela palavra de Cristo” (Rm.10:17). Assim como o servo está preparado para ouvir a voz de seu senhor e a mãe está preparada para ouvir o menor choro de seu bebê, o cristão também deve estar pronto para ouvir o que Deus tem a dizer.
    Tardio para falar, o fato de termos dois ouvidos e uma boca deve servir para nos lembrar de ouvir mais do que falar. “Mas o que modera os lábios é prudente” (Pv.10:19). “Quem retém as palavras possui o conhecimento” (Pv.17:27).

    Tardio para se irar. Não devemos nos irar com Deus nem com sua palavra. “O longânimo é grande em entendimento, mas o de ânimo precipitado exalta a loucura” (Pv.14:29).
    Tiago nos adverte a não nos irarmos contra a Palavra de Deus, pois ela revela nossos pecados.
    Ao ler o v.20 notamos que a ira do homem não produz a justiça de Deus. Na verdade, a ira é exatamente o oposto da paciência que Deus deseja produzir em nossa vida, à medida que amadurecemos.

    v.21 – Um coração preparado. Como preparamos o nosso coração para a Palavra de Deus? Confessando os nossos pecados I Jo 1:9, meditando sobre o amor e a graça de Deus pedindo a ele para tirar qualquer dureza de nossos corações. Jr. 4:3 e por fim, devemos ter uma atitude de “mansidão”. Quando recebemos a Palavra com mansidão, aceitamos o que ela diz, não tentamos distorcê-la, a fim de encaixar com nosso modo de pensar. Pois quem não receber a Palavra como ela é, está enganando a si mesmo. Os cristãos que gostam de discutir sobre vários “pontos de vista” podem estar se iludindo. Pensam que suas discussões promovem crescimento espiritual, quando, na verdade, talvez só estejam cultivando ervas daninhas.

    vv. 22 -25 – Não basta ouvir a Palavra, também se deve colocá-la em prática. Muitas pessoas têm a ideia equivocada de que ouvir um bom sermão ou estudo bíblico é o que as faz crescer e receber a benção de Deus. Não é o ouvir, mas sim o praticar que redunda em benção.
    vv.23-25 – Exame. Esta é a razão principal de ter um espelho: poder examinar a si mesmo e se certificar de que a aparência está o mais limpa e arrumada possível. Quem se olha no espelho da Palavra de Deus vê-se como é de fato. Tiago menciona vários erros que as pessoas comentem ao olhar no espelho de Deus.

    Primeiro, elas apenas se olham de relance. Não estudam a si mesmas com cuidado ao ler a Palavra. Segundo, é que se esquecem do que vêem. Se estivessem olhando para os lugares mais profundos do coração, o que veriam seria inesquecível. O terceiro erro que cometem é não obedecer ao que a Palavra ordena. Pensam que ouvir é o mesmo que fazer, quando, na verdade, são duas coisas diferentes. Nós gostamos de colocar o falar, no lugar de fazer.

    vv.26,27 COMPARTILHAR A PALAVRA. A palavra traduzida por “religião” significa “a prática exterior, o culto a um deus”. É usado apenas cinco vezes em todo o Novo Testamento (Tg.1:26,27; At.25:19; 26.5 e Cl.2:18), em que é traduzido por “culto”.

    A religião pura não tem relação alguma com cerimônias, templos ou dias especiais. Antes significa praticar a Palavra de Deus e compartilhá-la com outros por meio de nosso falar, serviço e separação do mundo. (Às vezes preocupamos muito mais com bem-estar para com os de fora! E esquecemos os de dentro, os irmãos da igreja, era isso que Tiago estava dizendo, ter cuidado e preocupação com os domésticos da fé.). Como cristãos, temos a obrigação de ajudar a suprir as necessidades dos outros sem fazer acepção de pessoas. “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé” (Gl. 6:10). “Sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mt.25:40).

    v.26 O falar. A Epístola de Tiago refere-se ao falar em várias ocasiões, dando a impressão de que a língua era um problema sério na congregação (Tg.1:19; 2:12; 3:1-3, 14-18; 4:1,12). A língua revela o coração (Mt.12:34,35); se o coração estiver em ordem, o falar também estará. Uma língua controlada significa um corpo controlado (Tg.3:1ss).

    v.27 – O serviço. Depois de nos vermos no espelho da Palavra, devemos olhar para os outros e para suas necessidades. Isaías primeiro viu o Senhor, depois a si mesmo e, em seguida, as pessoas às quais deveria ministrar (Is 6:1-8) Palavras não substitui atos de amor (Tg.2:14-18; I Jo 3:11-18) Deus não quer que paguemos para outros ministrar como substitutos de nosso serviço pessoal. (Mt.28:18-20, Mc 16.15; Atos 1:8... Evangelismo e discipulado. Nas casa e no templo todos os dias. Atos 2:46,47; ensinando todos os dias nas casa Atos 5:42; e anunciar nas casa Atos 20:20.)

    A separação do mundo. (v.27b) ao falar sobre o mundo, Tiago refere-se à “sociedade sem Deus”. Satanás é o príncipe deste mundo (Jo14.30), e os perdidos são filhos deste mundo (Lc16.8). Como filhos de Deus, estamos fisicamente no mundo, mas não somos espiritualmente do mundo (Jo17:11-16). Somos enviados para o mundo a fim de ganhar outros para Cristo (Jo 17:18). Somente mantendo a separação é que se pode servir outros. Porém, devemos ter cuidado com a fé salvadora, para não confundirmos com as boas obras visando a salvação. Ajudar os necessitados é uma expressão de amor, e a fé opera pelo amor. A fé em Cristo vivifica e onde há vida deve haver crescimento e frutos.

    Você deseja conhecer mais sobre Deus e sua Palavra? Participe de nos encontros às terças e sextas-feiras às 20h.

    Onde? MISSÃO BATISTA EM VILA UNIÃO.
    Rua Jorge de Freitas, 169 – travessa da Rua da Balsa, próximo à Ponte do Piqueri - Vila União/SP

    Sejam todos bem-vindos!!!

    Forte abraço e que Deus continue a iluminar o seu caminho.
    Pr. J.Lopes.