Google+ Badge

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Sempre que o homem desobedece a Deus, o Senhor julga o pecado e, então, Sua graça oferece um recomeço. Gênesis. 11:1-9

Extrutura
1]) 11:1-9 Deus impede uma revolta

2) vv.1-4 Rebelião - "Não sejamos espalhados..."

3) vv.5-9 A reação de Deus – “Deus jamais fica perplexo". Ele não se admira, pois Ele sabe tudo de antemão. Ele, tão somente, permite, dá liberdade ao homem. E o limite que Ele tolera é que o propósito dEle ("encher a terra") não seja prejudicado ou impedido.

v.4 A Lei do Grande Impulso: A torre de Babel – O impulso é o melhor amigo do líder: Unidade de visão de linguagem e de esforço entre o povo de Babel proporcionou uma extraordinária oportunidade. Infelizmente, usaram a Grande Oportunidade para seguir em sue próprio caminho. Como resultado, deus paralisou a oportunidade deles, confundindo a linguagem e espalhando-os pelos quatro ventos da terra.
 v. 6 "Um só Povo” - este povo tinha vários elementos a seu favor. eram"uma espécie de nações unidas” que falavam a mesma língua e usavam um único vocabulário. era motivado por um só espírito de orgulho e pelo desejo instigante de se tornar célebre. A única coisa que lhe faltava era a aprovação de Deus.
 v.7 a resposta de Deus: "Desçamos e Confundamos" - "Ri-se Aquele que habita nos céus; o Senhor zomba deles”. Sl.2:4
 v.9 -"Chamou-se-lhe, por isso, o nome de Babel. - Por vezes Deus usa a confusão pra fazer com que as pessoas retornem e se limitem à sua realidade e à sua pequenez e para impedí-las de se unirem contra a vontade Dele
 Contexto: Literário
 
Contexto Geográfico: Planície de Sinear – A terra de Senear foi identificada como bacia dos rios Tigre e Eufrates, onde civilizações antigas, como a a Babilônia, construíram pirâmides em degraus  conhecidas como zigurates. Gn. 11:3,4, 8
 Teologia Bíblica: Deus reage. Isto é, Ele é agente e reagente, sempre conforme o Seu propósito. E nunca deixa prevalecer, mas, corrige o erro humano.
 Aplicação:
 As pessoas do mundo dependem de sua própria sabedoria e de seus próprios esforços e, ainda assim, não conseguem criar um nome que permaneça.
 - O homem quando depende apenas de sua própria sabedoria e de seu próprio esforço e sem se preocupar em saber a vontade e propósito Divinos, não consegue edificar uma obra grandiosa, útil, positiva e, logo, nem um nome (fama) que permaneça.
 Quem conhece um nome de alguém que tenha trabalhado na famosa torre de babel? Quem sabe o nome do líder?
- Contudo, os homens que não se preocuparam em engrandecer o seu próprio nome, mas que, humildes, agiram obedecendo a vontade e o propósito Divinos, para engrandecer o Nome de Deus, realizaram obra que permaneceu e prevaleceu e que perpetuou o nome deles na humanidade. Foi o caso de Abraão, Noé, Davi, Salomão, etc. Abraão é conhecido ao redor do mundo reverenciado por judeus, muçulmanos e cristãos.
Há uma enorme diferença entre a humanidade dizer: "tornemos célebre nosso nome!" e Deus dizer: "Te engrandecerei o nome!".
"A união faz a força", diz o ditado. E é verdade. O homem é um ser social. Deus quer que os homens se entendam e se unam, em paz e prosperidade social. Mas a união faz o homem se sentir mais forte e mais ousado, mormente para fazer coisas erradas.
 Veja um caso bem atual. É o caso das torcidas organizadas. Um torcedor sozinho talvez seja totalmente inofensivo. Mas a formação de "gangue" anima as pessoas a fazerem coisas más. Isto é próprio da natureza humana. Daí o esforço do MP Ministério Público de SP em proibir o acesso das torcidas organizadas aos estádios. Inclusive o Código Penal, art 288, condena a formação de quadrilha.
 O homem é um ser naturalmente social. Deus quer que os homens se unam, mas para fazer coisas boas. Ele escolheu um povo, os judeus, e depois a Igreja, para unidos fazerem a vontade de Deus e fazerem Missões Mundiais ("e em ti serão benditas todas as famílias da terra.", Gn 12.3; "ser-me-eis testemunha tanto em Jerusalém...", At.1.8).
 Um crente sozinho, talvez uma igreja sozinha, não pode enviar e sustentar um missionário. Mas vários crentes, várias igrejas unidas podem. Se uma igreja local cumpre o propósito Divino, ela prospera. Se não cumpre, Deus pode agir sobre ela de forma drástica, seja dividindo-a ou até extinguindo-a, espalhando os seus membros por outras igrejas.
 Um outro fato possível de se citar é a divisão do Cristianismo entre várias denominações e até várias Igrejas diferentes dentro de uma mesma denominação. Cada uma tem suas particularidades. Cada uma atrai a simpatia de certo tipo de pessoa. Há quem goste de cultos mais animados, outros mais conservadores e solenes, etc. Outro detalhe, é que cada denominação / igreja tem uma visão e ação diferentes. Uma é mais missionária urbana. Outra em missões nacionais e mundiais. Outra é mais ligada à ortodoxia doutrinária. Outra atinge a população mais pobre. Outra a mais rica. Outra a mais culta. E, Etc.
 A chamada história primitiva de Gênesis termina com a torre de Babel e a diáspora da humanidade por toda a terra. Os capítulos finais do livro (do 12 ao 50) dedicam-se à história dos ancestrais de Israel, divididos em três segmentos: Abrão (e a figura transitória de Isaac, Jacó) e José e seus três irmãos – os progenitores das 12 tribos de Israel. Mais uma vez, a genealogia assinala a quebra entre as narrativas; as dez gerações de Noé a Abraão (ou Abrão) repetindo as dez gerações de Adão a Noé.
 À primeira vista, o incidente da torre de Babel parece retratar um deus irado pronto a punir o povo por causa da desobediência. Mas a questão envolvia muito mais do que isso. Na verdade, deus estava implementando um plano chamado “dividir e conquistar”. Em Gênesis 11, o Senhor dividiu as pessoas em muitos grupos de linguagem. Em gênesis 13, escolheu um desses grupos e fez aliança com um dos seus membros. Deus falou a Abraão e prometeu abençoá-lo e, através dele, abençoar todas as famílias da terra. Por causa dessa aliança, Abraão tornou-se o pai do povo hebreu.
 É importante observar como deus propôs seu plano. Disse a Abrão que o abençoaria, juntamente com os seus rebanhos, a terra, a família e o nome. Deus falou com Abrão de coração para coração, revelando-lhe as bênçãos que  usufruiria através da aliança. E Abrão não foi resistente: Aceitou a proposta de Deus.
 Enquanto Abrão podia ter decidido obedecer a Deus simplesmente porque Ele é Deus, o Senhor fez o esforço de, primeiramente, efetuar ligação com Abrão. Deus tocou o coração de Abrão antes de pedir a mão dele. E você tem recebido o toque de Deus em seu coração? Pense nisso!

Forte Abraço e até breve.