Google+ Badge

sexta-feira, 25 de março de 2011

PORQUE SER CRISTÃO?



A Bíblia é uma Escola de Líderes, o foco principal é tornar feliz a humanidade através do aperfeiçoamento humano. Através de uma estrutura bíblica religiosa o ensino bíblico faz do cristão uma pessoa melhor, dedicada à sua família e ao seu trabalho, mas, sempre preocupado e adstrito ao desenvolvimento espiritual da sociedade onde convive.
Em um mundo cada vez mais complexo, a Bíblia  satisfaz a uma das mais básicas necessidades dos seres humanos: a de fraternidade. Esta é uma das principais razões da existência da humanidade desde as antigas civilizações.
Este foi um dos principais motivadores no surgimento da cristandade. Toda pessoa precisa de relacionamentos humanos. A cristandade representa um corte transversal das profissões de uma comunidade, pois a irmandade está presente em todos os ramos comerciais e profissionais e os cristãos ajudam-se mutuamente uns aos outros como regra de conduta, ou seja, faz parte do Estilo de Vida do cristão dar preferência e participar ativamente do crescimento  espiritual, profissional e social de seus irmãos, tornando-se assim a cristandade instituição única e diferenciada.
O envolvimento com a Bíblia favorece o crescimento pessoal na área de relações humanas e a um profundo conhecimento de Deus.
A Igreja é uma organização que congrega líderes e pessoas de sucesso. Atuar em cargos de Departamentos da Igreja é sinônimo de maior experiência em liderança. Na missão a pessoa aprende como motivar, influenciar e liderar aqueles que já são líderes.
A ligação com uma Congregação ou Frente Missionária torna seus membros melhores cidadãos. Tipicamente, a Missão congrega as pessoas mais atuantes de uma comunidade.
As reuniões semanais de uma Frente Missionária procuram manter os irmãos atualizados sobre o que está acontecendo na comunidade, no país e no mundo. Discutem-se temas religiosos, psicológicos, filosóficos e variedades, além de assuntos milenares internos sobre a humanidade.
Muitas pessoas que ingressam em nossa Frente Missionária têm receio de falar em público. A Missão permite excelente experiência em oratória, fortalecimento da autoconfiança e aproveitamento de oportunidades no campo da comunicação.
Toda Frente Missionária organiza reuniões e atividades de entretenimento, as quais são muito importantes no intuito de trazer descontração e um momento de alivio e tranqüilidade às nossas ocupadas vidas missionárias ou de evangelização. Na Frente Missionária são organizadas conferências, convenções, assembléias e institutos que, além de informação, orientação e trabalho missionário, também oferecem entretenimento sadio.
Todas as semanas, e em vários outros tipos de reuniões e eventos, a Frente Missionária aperfeiçoa nossa personalidade e habilidades interpessoais, oferecendo ambiente ideal para pessoas que gostam de sociabilizar.

A Junta de Missões Nacionais oferece um dos mais abrangentes programas de intercâmbio de jovens do mundo, patrocinando clubes em escolas secundárias e universitárias, bem como grande variedade de atividades úteis que difundem valores fundamentais às famílias cristã, ou seja, a participação em instituições sócio-cultural e religiosa como, (para meninos e meninas), Moto Clubes, Grupos de Estudos, etc. envolvem toda a nossa família unificando projetos  ideais e sociais.
Espera-se que todo irmão envolva-se com a melhoria de sua profissão ou ocupação, sirva em comissões de serviços profissionais e participe da divulgação de sua profissão entre os jovens. Os missionários procuram conseguir que todos sirvam sempre da melhor maneira através de nossas profissões, sejam elas no ramo da medicina, educação, etc.
Os missionários aplicam em todas as suas atividades a Bíblia, a qual reflete seus padrões de ética. Espera-se que os irmãos atuem eticamente em suas profissões e relacionamentos pessoais.
Encontramos representadas na Junta de Missões Nacionais, variadas culturas, raças, nacionalidades e crenças políticas. Em nosso meio encontram-se os cidadãos de maior destaque dos mais variados campos do conhecimento humano. Os irmãos entram em contato com outras culturas e anseiam por trabalhar e ajudar as pessoas de todos os lugares. Conseqüentemente, tornam-se melhores cidadãos em seus próprios estados e região.

Os missionários são pessoas de prestígio - líderes de negócios, profissionais, artísticos, governamentais, esportivos, militares, e muitos outros. A Junta de Missões Nacionais é a associação de Igrejas  dedicadas à prestação de serviços mais antiga e prestigiosa do mundo. Em suas fileiras encontram-se executivos, diretores e profissionais de destaque, ou seja, pessoas de influência acostumadas a tomar decisões.
Acima de tudo, os missionários são pessoas agradáveis. São indivíduos que crêem que o valor de cada um reside em fazer o bem, demonstrando o amor de Deus a todos e não no destaque pessoal.

A JMN é formada por Frentes Missionárias dedicadas à prestação de serviços. Seu interesse máximo é a humanidade, seu produto de maior valor é a dedicação ao servir para o bem-estar social e espiritual de todas as pessoas.
Entretanto, o melhor motivo para tornar-se Cristão Verdadeiro é a oportunidade de ajudar nossos semelhantes e o bem-estar que resulta de nossas ações espirituais e sociais.

Pr. José Lopes de Oliveira / Maria Elisete da Silva Oliveira
Miss. JMN/CBB – SP
Membro PIB Jandira/SP
Blog.:  Prjoselopes.blogspot.com
(11) 7452-0677
                                                                                                                                            Brasilpequeno    Por amor aos brasileiros, conquistando a Pátria para Cristo



segunda-feira, 21 de março de 2011

DÍZIMO POR QUE NÃO?


 A palavra dízimo, etimologicamente, significa dez por cento de um todo. Porém, seria uma palavra comum, um simples percentual, se não tivesse “toda uma ressonância bíblica e tradicional na consciência cristã”.

          Dízimo é um tema instigante e inquietante. Alguns apaixonam-se por amar a Deus, à Igreja e aos irmãos através do dízimo. Outros, o negam por não percebê-lo presente no Novo Testamento. Não raras vezes, ouvimos dizer que os católicos não oferecem o dízimo, porque dão qualquer coisa. Também, já me foi pedido para que não falasse mais em dízimo. Por fim, foi- me sugerido que se trocasse a palavra dízimo, ou seja, que a palavra dízimo não fosse usada na Igreja.

Mas, apesar de tudo isso, o dízimo se mantém firme, inabalável, querendo ser acolhido, amado e praticado como Palavra de Deus e único instrumento bíblico de sustentação de nossas igrejas.

O termo dízimo surgiu na Bíblia com Abrão, e, antes de ser normatizado pela lei mosaica, era praticado espontaneamente, como sinal de louvor e gratidão ao Deus 
Altíssimo (Gn 14,18-20). No mesmo sentido é a manifestação de Jacó ( Gn28, 20).

O questionamento de que o dízimo, com seu percentual numérico, é próprio do Antigo Testamento, e que, no Novo Testamento, valeria o que o Apostolo Paulo nos propõe, é verdade, porém, não com o texto restrito (2Cor 9,7): “Dê cada um segundo o impulso de seu coração”, mas com o texto ampliado:

Saibam de uma coisa: quem semeia com mesquinhez, com mesquinhez há de colher; quem semeia com generosidade, com generosidade há de colher. Cada um dê conforme decidir em seu coração, sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria” (2Cor 9,6-7).

Isso combinado com o Primeiro e o Segundo retratos da Comunidade de Atos, onde a vivência cristã era da partilha total:

Todos os que abraçaram a fé eram unidos e colocavam em comum todas as coisas; vendiam suas propriedades e seus bens e repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um” (At 2,44-45).
A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava propriedade particular as coisas que possuía, mas tudo era posto em comum entre eles” (At 4,32).
Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas as vendiam, traziam o dinheiro e o colocavam aos pés dos Apóstolos; depois, ele era distribuído a cada um conforme a sua necessidade” (At 4, 34-35).

Portanto, mesmo que o dízimo literalmente signifique 10%, esse percentual é um mínimo em relação à proposta apostólica. Não nos preocupemos com esse percentual. 

O Dízimo Cristão perdeu sua conotação numérica e mantém seu sentido religioso, numa caminhada de fé que expresse amor a Deus, à Igreja e aos irmãos.

Lembremos, então, que o dízimo bíblico, antes de ser um percentual, fixado pela lei mosaica, era expressão de graça divina e manifestação espontânea de gratidão da criatura ao seu Criador. Ao oferecer o dízimo, Abrão praticou um ato religioso, demonstrando toda sua fé e gratidão ao Deus Altíssimo (Gn 14, 18-20).

O dízimo, antes de ser um percentual, é manifestação de obediência à Palavra de Deus. Os dízimos pertencem a Deus, sendo coisa consagrada (Lv 27, 30.32). Se pertencem a Deus, não são nossos. Devemos devolvê-los.

O dízimo, antes de ser um percentual, é parte da minha vida, é produto do meu trabalho que devo separar ( Dt 14,22) e levar ao Templo, “lugar que Javé escolheu para fazer habitar seu nome”
( Dt 12,11).

O dízimo, antes de ser um percentual, é um ato de generosidade com o qual glorificamos o Senhor, dando, com alegria e de boa vontade, um dízimo justo e fiel .

O dízimo, antes de ser um percentual, é um chamamento à conversão, na volta à observância da Lei do Senhor, corrigindo os enganos e livrando-nos do egoísmo e da infidelidade. (Ml 3,9). Por isso, Malaquias nos exorta: “façam a experiência comigo” (
Ml 3, 10ª).

Deus sempre é fiel e nos cumula de bênçãos. A oferta do dízimo justo e fiel nos permite o reconhecimento das graças e das bênçãos recebidas e não percebidas:
Vocês hão de ver, então, se não abro as comportas do céu, se não derramo sobre vocês as minhas bênçãos de fartura” (Ml 3,10b).
Pelo exposto, percebemos que dízimo é muito mais que um percentual. Ele, reitero, perdeu seu sentido literal/numérico da lei e retomou seu sentido religioso original. Mesmo sob a égide da lei mosaica, o dízimo tinha sentido religioso para os tementes a Deus 

A Lei veio para favorecer a organização do povo e o dízimo veio para que o povo de Deus tivesse um sagrado instrumento de sustentação da comunidade.

No Novo Testamento, também há referência textual ao dízimo. Jesus Cristo não veio abolir a Lei, e, sim, aperfeiçoá-la (Mt 7,17), ensinando-nos que o dízimo deve ser precedido por uma vida de justiça, de misericórdia e de fidelidade que se resume no mandamento do amor. 

Dízimo é um ato de amor, é a medida do amor, da justiça e da gratidão para com Deus.
O Padre Cristovam Lubel, em seu livro O Dízimo e as Ofertas, observa:

“Jesus não condena a prática do dízimo. Ele o usa para ressaltar o valor prioritário da Justiça. Quanto ao dízimo Ele até o recomenda ao dizer que ‘isto é que deveríeis praticar(a justiça, a misericórdia e a fidelidade) sem contudo deixar aquilo’ (o dízimo) (Mt 23,23b)”.



Se por um lado, convém reforçar que estamos desobrigados de contribuir com Dízimo por Lei ou até mesmo por coerção psicológica, por outro lado temos o dever da contribuição pela Graça, pelo amor”. (Dízimo e Oferta na História do povo de Deus p.47), Você faz parte do Povo de Deus?

Jesus não se comportou como anti dizimista, nem se opôs à lei mosaica. Pelo seu parecer, nota-se ainda que sua posição era favorável ao Dízimo, todavia condena e corrige a hipocrisia, ou seja, os excessos e formalidades religiosas exteriores dos fariseus” .



na nova interpretação que o Mestre deu à Lei mosaica no tocante ao Dízimo, 'os filhos do Reino' estão isentos. Isentos, é claro, quanto ao Dízimo sob as prescrições escrupulosas da Lei antiga (como taxas fixas, impostos e obrigações, no sentido aritmético e matemático: 10% dos rendimentos) (p.59)

Assim, Jesus Cristo nos legou, não um dízimo percentual, numérico, mas um dízimo de amor total. Por sua vida, paixão, morte e ressurreição Cristo nos trouxe a salvação e resgatou-nos o verdadeiro sentido do dízimo como expressão de amor a Deus, como sinal de partilha comunitária e de solidariedade com os irmãos.

As comunidades(Igrejas) apostólicas eram perseverantes na oração, perseverantes na escuta dos apóstolos, perseverantes no partir o pão e perseverantes na partilha de bens, colocando tudo em comum (At 2,42).

Assim, chegamos ao DÍZIMO CRISTÃO como expressão de amor a Deus, à Igreja e aos irmãos. Isso será possível se houver acolhimento da Palavra de Deus e conversão do coração, conforme a exortação de São Paulo, referida anteriormente.

Não há dúvida que ser dizimista é graça divina, é uma caminhada de fé. Dízimo e fé crescem e caminham juntos. Por isso, todos devem ser dizimistas. É um compromisso que deve ser resgatado. Ninguém está dispensado do dízimo comunitário.

Também o pobre, na sua condição, tem o direito de ser um dizimista justo e fiel. Não deve ser excluído. 

O melhor dízimo não é o maior em quantidade, e sim, aquele que é ofertado com alegria e de um coração agradecido
.

O sistema de dízimo parece pastoralmente rico, portanto, enquanto sistema de contribuição sistemática (mensal), de compromisso moral com a comunidade (não jurídico, e fixado de acordo com a consciência formada de cada um (sem índice aritmético)

Tirar-se-ia assim da palavra dízimo suas conotações matemáticas e históricas, conservando, prevalentemente, seu sentido religioso. Sob esse aspecto não nos parece útil e aconselhável substituí-la por outra palavra. “A palavra dízimo tem toda uma ressonância bíblica e tradicional na consciência cristã, que pode e deve ser valorizada dentro de um novo contexto e sentido histórico.”



Creio que, se ainda houvesse alguma dúvida, teria sido dissolvida com  CBB, a Igreja Batista Brasileiral mantém o termo dízimo mas não impõe os 10% como obrigação. Aliás, não impõe nenhuma porcentagem, deixando a cada um a decisão de oferecer segundo o seu coração, embora sugira os 10% como um referencial... ao mesmo tempo o aponta como uma meta a ser atingida e até mesmo ultrapassada” (O Dízimo e as Ofertas.

Nos dias de hoje, convém questionamos se, para sustentarmos as nossas igrejas, acolhemos a Palavra de Deus, optando pelo dízimo, ou continuamos a acolher a palavra dos homens, “recorrendo a formas de arrecadação que não são coerentes com o evangelho”(Frei Michels)

Não há nenhuma dúvida. É com o dízimo, Palavra de Deus, que devemos sustentar as nossas comunidades em todas as suas dimensões. “A Igreja cresce em qualidade quando cresce a comunhão e a participação mediante o dízimo”. ”(Frei Michels)
Por que, então, continuamos a acolher a palavra dos homens, buscando o lucro em nossas festas excludentes (os fiéis “sem cartão”) e promoções viciantes (bingos e bebida alcoólica).

A Igreja é sacramento de Cristo, é Comunidade sagrada, povo santo de Deus. Não temos nenhum outro instrumento sagrado de sustentação que não seja o dízimo.“Dízimo pertence a Deus. É coisa consagrada” (Lv 27,30). E nós devemos devolvê-lo a Deus, entregando-o à Igreja, a serviço da Comunidade de Fé.

Assim, com fé e humildade, peçamos perdão a Deus pelas nossas incoerências pastorais e promoções paroquiais inadequadas, pedindo ao Espírito Santo que nos dê o discernimento evangélico, a força e a coragem para mudar o que for necessário.


Devemos buscar a renovação de nossas comunidades através da conversão pastoral pela auto-avaliação e coragem de mudar , reconhecer as faltas e os erros pastorais na condução de nossas comunidades. Com o tempo, deveremos abandonar os vigentes métodos de “promoções” congregacionais, fazendo a opção pelo dízimo como instrumento bíblico de sustentação, acolhendo, sem restrições, a Palavra de Deus” 

Heb. 13:8 Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje e eternamente.

Heb. 13:7 Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para sua maneira de viver. (os pastores são dizimistas)

Heb. Obedecei a vossos Pastores Pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas: para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.

Em última análise levar o dizimo aos cofres da igreja é também uma questão de obediência aos seus pastores, ou isso não é mandamento bíblico/ (Novo Testamento - Igreja, livro de Hebreus.

Já mencionado acima,  pelo menos  duas vezes o dízimo é mencionado no Velho Testamento, antes que a Lei moisaíca fosse estabelecida. Portanto, o dizimo é trans e interdispensacional, ou seja, é para todas as dispensações, inclusive a dispensação que estamos vivendo, e coincidirá com a dispensação do milênio.

Escrevi isso a você, pois me pareceu que você quer aprender, e não discutir e atacar as pessoas (Pastores em geral) tenho minha consciência de aplicação do bens patrimoniais do Povo de Deus, o que os demais fazem não me interessa, eles prestarão contas a Deus pelos seus erros, inclusive os infiéis à obediência aos preceitos bíblicos. 

Provérbios 9:9 "Dá instrução ao sábio e, ele se fará mais sábio: ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento"

Forte abraço





                                            

Pr. José Lopes de Oliveira
Miss. JMN/CBB

domingo, 20 de março de 2011

COMO SE TORNAR UM CRENTE FELIZ (extraido e adaptado de: T.L.Osborn)

Prezado amigo! Graça e Paz!

Depois de você se tornar filho de Deus, o êxito e crescimento de Sua vida de crente depende de Si mesmo.

A bênção, o fruto, da vida realmente crente, na sua própria vizinhança é além do que se pode descrever.
Os descrentes que recusam ler a Bíblia, lerão a sua vida diariamente.(inclusive sua vida de bênçãos, prosperidade, seu crescimento espiritual, social e financeiro).

Para levá-lo a viver uma vida útil de um crente feliz, trazendo bênçãos a todos em redor, preparei as seguintes sugestões.:

Leia-as atentamente e as pratique diariamente, até ficarem incorporadas na sua própria vida. São  resumidas, mas de importância vital. entesouradas no coração durante a jornada da sua vida, produzirão bênçãos de valor incalculável nas vidas de milhares que o observem.

1) - ESTUDAR A BÍBLIA. Reservar ao menos  trinta minutos todos os dias para estudar a Bíblia. Pedir a Deus que lhe fale durante estes trinta minutos por meio da  Sua Palavra fala a Deus, também, durante esses trinta minutos diariamente, em oração.
Então fala sobre Deus, durante trinta minutos diariamente, testificando pessoalmente ao próximo como testemunha.
"Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele ides crescendo". I Pe. 2:2

A  Palavra de Deus é alimento para a alma.
Decore um versículo das Escrituras diariamente
Faça parte de uma classe bíblica, Sl. 119:11

2) PERSEVERE EM ORAÇÃO. Orar é falar a Deus. Fale a Ele sobre tudo - suas dificuldades, seus êxitos, suas tristezas, seus pecados, suas faltas, seus amigos, e seus inimigos.
Fale como fala ao seu próprio pai. Fale a mesma linguagem que costuma falar diariamente.
"Não estejas inquietos por coisa alguma: antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplicas, com ação de graças" Fil 4:6

3) GANHE ALGUÉM PARA CRISTO. Para crescer espiritualmente, precisa não apenas de alimento (estudo da Bíblia), mas também, de exercício. Trabalhe por Cristo. O serviço que Cristo nos dá é o de ganhar outros.
"Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura" Mc. 16.15.
"Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; não o avisando tu, não falando para avisar o ímpio acerca do seu caminho ímpio, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua maldade, mas o seu sangue da tua mão o requererei". Ez. 3:18.
Se estiverem doentes, ore por eles, Lede Mt. 5:31-46.
"Estes sinais seguirão aos que crerem... porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão". Mc. 16:17,18.

4) EVITE AS MÁS COMPANHIAS .  Desvie-se de pessoas más, dos livros maus, dos pensamentos maus. Leia o  Salmo 1.
"Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto, que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? ou que comunhão da luz com a trevas?... Ou que união do crente com o incrédulo? ... Por isso retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor" II Cor. 6:14,15,17.
Esforça-te para ganhar os incrédulos para Deus, mas não os escolhas para teus companheiros.

5) FAÇA PARTE DE UMA BOA IGREJA.  Cuide de ingressar em uma igreja que ensine o sangue de Cristo para lavar os pecados, e as pisaduras de Jesus Cristo para cura de  doenças. Cuide que seja uma igreja cuja doutrina concorde com as Escrituras.
Seja fiel em assistir a todos os cultos da igreja.
"Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns" Hb. 10:25
Colabore com seu pastor. Deus apontou o pastor para apascentar a igreja. Deve, portanto, honrá-lo e esforçar-se para ajudá-lo em todos os planos para promover a causa de Cristo na igreja.

6) CONTRIBUA PARA O SUSTENTO DA OBRA DO SENHOR. Dê segundo a sua prosperidade, I Cor, 16.2. "Cada um contribua segundo propôs no seu coração não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria". II Cor. 9.7.

7)  NÃO SE DESANIME. Espere tentações, contratempos, e perseguições; a vida cristã é uma guerra.
"Todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus pedecerão perseguições". II Tm. 3:12.

O Deus eterno é seu refúgio. Temos a promessa que todas as coisas, mesmo as dificuldades absurdas, cooperam para o nosso bem, Rm. 8:28. Muitos dos Santos de Deus que  brilhavam mais, eram muitas vezes, tão fracos como você e eu. Pela mesma sorte de provações, que você há de enfrentar, mostravam-se firmes na fé. Suas vidas foram enriquecidades por essas experiências; o mundo ficou melhor por causa das suas vidas.

Deus sempre admoestava aqueles que chamou a nunca temer nem desaminmar, porque Ele tem prometido: "Não temas, porque Eu sou contigo; não te assombres, porque Eu sou o teu Deus; eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça" Is. 41:10.

Costume-se a ler, ou decore, os seguintes versículos das Escrituras: Rm. 8:18; Tg. !:12; I Cor. 10:13

Qualquer promessa de Deus, apresentada pelo pregador pela mensagem, quando crida e concretizada, transforma -se em Poder de Deus na vida das pessoas que a recebem.

Forte abraço e que Deus te abençoe.

Pr. Lopes Miss da JMN/CBB em Icém/SP



terça-feira, 8 de março de 2011

DIA INTERNACIONAL DA MULHER




 Uma História de muitas lutas

- Ocupei diversos cargos durante minha jornada de vida de trabalho:Auxiliar Administrativo,Gerente, Assessor de gabinete, professor,Técnico em Segurança do Trabalho, onde lidei diretamente com pessoas. E, como Pastor Batista e Missionário, continuo a 
lidar com pessoas.

Na oportunidade, convivendo diária e diretamente com a população carente por onde passei e passo, pude perceber os principais anseios e, acima de tudo a garra e o papel importante que as mulheres da nossa sociedade desempenham em nossa comunidade.

Vejo mulheres que exercem o papel de “Pai e mãe” de família;
Vejo mulheres que ultrapassam o estigma de “sexo frágil” e não medem esforços – inclusive físicos – para levar o pão de cada dia  para casa.

Vejo mulheres que apesar da pouca idade, desviam-se das condições de “menina” para como mulher – priorizar sua função de mãe.
Enfim, é importante ressaltar – não apenas no dia 08 de março, data em que se comemora o DIA INTERNACIONAL DA MULHER – o valor e o grande espírito  de luta de todas as mulheres.

- Destaco aqui aquelas mulheres, solteiras ou casadas que deixaram o conforto de seus familiares e se lançaram no campo de batalha missionária. Meus parabéns à todas às mulheres em todos os níveis do status social.


NOS TEMPOS ANTIGOS

-Quero fazer menção aqui também à uma missionária Priscila, mulher usada por Deus para influenciar pessoas de pelo menos três nações: Roma, Grécia e Ásia Menor.(Atos dos Apóstolos );
Meg Crossmam mobilizdora para o ministério transcultural entre os não alcançados;

Marguerite Kraft, que serviu como missionária entre os Kamwes no norte da Nigéria;

Luzia, que viveu por volta do ano 300, que trabalhou com obras de caridade na Sícilia e foi condenada à morte  porque recusou deixar o seu trabalho em ajudar os pobres;

Melânia, que também tinham um importante trabalho missionário por volta do ano 410;

Clara, que viveu e trabalhou no inicio do século XIII, uma reformadora do cristianismo visando o pobres que andavam esquecidos à margem da sociedade;

Muitas mulheres foram martirizadas em razão de seu amor por Jesus durante os primeiros três séculos do cristianismo. Estas mulheres, que escolheram deixar tudo, para servir a Deus e viver uma vida separada do mundo, foi dada a oportunidade de proclamar o evangelho por meio da estrutura eclesiástica, fundaram escolas, orfanatos e até mesmo templos a fim de estabelecer a fé por onde passaram.


OPORTUNIDADES EM ÁREAS ESPECIAIS

As mulheres em missão sempre demonstraram uma aproximação holística, com ênfase tanto no evangelismo quanto nas necessidades humanas. Elas mostram um profundo compromisso em relação a mulheres e crianças: educação, serviço médico, lutas contra à tradição de enfaixe dos pés, casamento infantil, homicídio de mulheres, opressão social e religiosa.

Às mulheres tem sido permitida mais liberdade no ministério cristão, e o trabalho delas estende-se desde o evangelismo e a plantação de  igrejas à tradução das Escrituras e ao ensino em seminários.

As mulheres cristãs de hoje precisam conhecer e celebrar sua herança. Podemos estudar a vida de grandes mulheres que serviram à causa de Cristo e torná-las como modelos. De Mary Slessor, mulher solteira pioneira na áfrica,a Ann Judson, na Birmânia, e Rosalind Goforth, na China, esposas que serviram integralmente; de Amy Carnichael, na índia, a Mildred Cable,no deserto de Gobi; de Gladys Aylward, a pequena emprega doméstica determinada a ir para a China, a Eliza Davis George, mulher negra que foi missionária na Libéria; da tradutora Rachel Saint à médica Helen Roseveare; de Isobel Kuhn e Elisabeth Elliot, que mobilizaram escritores missionários, à Lottie Moon, líder exemplar nas missões e educação; das simples donas de casa filipinas, no Oriente Médio às executivas que instruem as anônimas “mulheres da Bíblia”,na China.

Claro que não poderíamos deixar de forma uma missionária importante da História Bíblica – Maria mãe de Jesus, que também cumpriu o seu papel missionário de louvar a Jesus seu Salvador juntamente com todas as demais mulheres  que aguardam o grande dia do arrebatamento da igreja, e juntamente com todas as demais serão levadas para estarem ao lado do  Grande Mestre e Salvador Jesus Cristo.

Também, não posso deixar de mencionar  nesta dedicação  a Minha Querida e amada esposa Elisete – Maria Elisete da Silva Oliveira, que por décadas tem me auxiliado e ao meu lado no Ministério do evangelho de Jesus Cristo, e, agora por último no campo  Missionário incansavelmente levando o amor de Deus a muitos. Obrigado Zete por me amar ao ponto de deixar seus filhos e bens, para estar comigo no arrebatamento de almas para Cristo.
Ah! Não posso deixar de mencionar aqui minhas filhas Évelin  
e Érika que juntamente com seus cônjuges e irmãos, cunhados, e nossa nora Adriana, liberam-nos ao campo de missões.
E à Maria Helena,  nossa gerente de Missões Nacionais  e suas auxiliares.


CONCLUSÃO

Como  se pode observar , a lista é grande e maravilhosa! Portanto, ainda por completar e aguarda a ansiosa a contribuição de gerações atuais e futuras de mulheres, tocadas pelo desejo de realizar a tarefa que ainda está por vir. Elas podem mobilizar-se e dedicar suas  habilidades, sua acessibilidade, seus conhecimentos, sua ternura, sua intuição e seu distinto fervor ao trabalho.
O espírito pioneiro, cheio de dedicação e de fidelidade demonstrado pelas mulheres através da história da Igreja definirá o padrão. Afinal, a tarefa é muito vasta para ser completada sem a participação de todo o povo de Deus.
Parabéns à todas as mulheres de hoje , do passado e do futuro, Deus seja com todos.
Pr. José Lopes de Oliveira
Miss. da JMN/CBB – em Icém/SP