Google+ Badge

sábado, 22 de fevereiro de 2014

AÇÃO TUTORIAL COMO PRÁTICA EDUCATIVA


A ação tutorial é uma parte muito importante da função docente, não só porque a norma legal assim conceitue, mas sim porque, hoje, a atenção a aspectos relacionados com a pessoa e com o grupo são de vital importância.
A Enciclopédia Universal (Vol. III - 1969) define competência como: Propriedade de quem está apto para apreciar ou resolver um assunto qualquer; aptidão. Idoneidade, para decidir ou apreciar. Presunção de igualdade... Indivíduo que é versado em alguma matéria. Etc.

ÂMBITO

  O Âmbito do Plano de Ação Tutorial pretende alcançar os seguintes objetivos:

  Com os alunos:  Aula
Conhecimento do aluno.
Integração no grupo-turma.
Optimização do tempo e auto-organização.
Favorecer o autoconceito positivo.

Com os professores:  Equipe Interdisciplinar de Setor

Diagnóstico de todo o tipo de problemas e tomada de decisão para a sua resolução.
Coordenar e favorecer as reuniões.
Facilitar o conhecimento do aluno e do tutor aos professores da turma e vice-versa.

Com a família:  - Reuniões - Palestras

Partilhar informação útil entre a família e a escola.
Informar os pais do funcionamento da escola, horários dos alunos, instalação e, orientação do curso, …
Informar os pais do percurso curricular do aluno, para favorecer uma melhor decisão na escola.
Fomentar a participação da família na educação do seu filho.

Elementos do Plano de Ação Tutorial nas Etapas Educativas
 No desenvolvimento da sua autonomia, o agrupamento de escolas ou escola não agrupada
pode ainda designar professores tutores para acompanhamento em particular do processo
educativo de um grupo de alunos.


OBJETIVOS E FUNÇÕES DA TUTORIA

A ação tutorial como atividade educadora/orientadora pretende:
1.     Reforçar as atuações dos professores, alunos, outros profissionais e famílias.
2.     Facilitar o conhecimento dos alunos organizados em grupo-turma.
3.     Reforçar o processo ensino-aprendizagem.

DESENVOLVIMENTO

O desenvolvimento se entende como desenvolvimento humano em sentido amplo, incluindo tanto a vertente de desenvolvimento pessoal quanto a de desenvolvimento social.

O desenvolvimento pessoal e social (orientação pessoal)
O ensino-aprendizagem (orientação escolar)
A maturidade vocacional (orientação profissional).
A ação tutorial orienta as equipes docentes da escola alcançar uma maior coerência na   
realização das atividades orientadoras. Nesta programação, os protagonistas são os  
professores tutores e os coordenadores.

RECURSOS (Materiais e Humanos)
A ação tutorial não é uma tarefa pontual, mas trata-se de um processo contínuo e uma componente fundamental do processo educativo.
A ação tutorial e a ação educativa têm como objetivo o desenvolvimento pessoal do indivíduo (maturidade pessoal e vocacional).
A tutoria terá de ser resposta à heterogeneidade das aulas (diversidade pessoal. Isto exigerá uma adaptação curricular e uma pedagogia diferenciada e individualizada para os alunos.
Quem tem de enfrentar a ação tutorial são o tutor e os professores que passam pelo grupo-turma.

AVALIAÇÃO
A entrevista individual ao aluno.
A tripla dimensão da orientação: a pessoal, a escolar e a profissional.
A dinamização do grupo-turma.
A organização do período inicial do ano letivo/curso.
As diferentes maneiras de avaliar tanto as aprendizagens como a sociabilidade.
A organização de um crédito trimestral de tutoria.

DURAÇÃO (Fases)


Planificação
         Primeira fase:         (fins, objetivos e recursos). – 1º Trimestre
             
Programação
         Segundo fase:           (tempos e atividades):  - 2º Trimestre

-  Distribuição de funções: pessoas e tarefas.
-  Coordenação e cooperação: redes, canais, relações humanas.

Realização de atividades
         Terceira fase:                                  (análises, métodos, instrumentos…) - 3º Trim.

     Quarta fase:       Controle e avaliação (instrumentos e feedback) – 4º Trimestre



 Apostila Ação Tutorial no Sistema Educativo, (Funiber,p.35) – Finalidade da Ação Tutoria  afirma: As diversas leis educativas de nosso país aprofundaram a ideia de que todo professor está comprometido na ação tutorial, seja ou não o responsável pelo grupo de alunos (MEC,1992).

Em síntese, as metas da tutoria centram-se em estimular um desenvolvimento integral do aluno, levando em conta:

a)    O desenvolvimento de todos os aspectos da pessoa.
b)    A atenção à diversidade, mediante adequadas adaptações curriculares.
c)    Uma preparação para a vida.




Competências Comportamentais (atitudes)


Competências Técnicas (conhecimentos e
habilidades)
- Organização e Planejamento;
- Pró-atividade;
- Automotivação;
- Capacidade de síntese e análise;
- Empatia;
- Equilíbrio emocional;
- Flexibilidade;
- Assiduidade;
- Comprometimento;
- Liderança;
- Criatividade.

- Conhecimento das rotinas de trabalho;
- Conhecimento em informática básica/ ambiente
virtual de ensino-aprendizagem;
- Conhecimento pleno da disciplina ministrada;
- Conhecimento sobre educação a
distância/sobre o curso;
- Relacionamentos interpessoais;
- Comunicação (oral/escrita);
- Trabalho em equipe.




1.ENQUADRAMENTO

1.1. Legal

De acordo com a legislação em vigor o plano de Ação Tutorial tem por base os
seguintes documentos legais:

• Dec.lei nº115 A/98: artigo nº36, ponto 4, já está prevista a possibilidades
das escolas designarem professores tutores.

• Dec. Regulamentar nº10/99: artigo 10º, prevê a criação da figura de
Professor Tutor, entidade de referência para o percurso do aluno e sua
inserção na Escola, remetendo para o Regulamento Interno dos
Estabelecimentos de Ensino a definição de outras competências
consideradas pertinentes.

Decreto Regulamentar 10/99 de 21/07/99
Artigo 10ª
Professor tutor

A direção executiva pode designar, no âmbito do desenvolvimento contratual da
autonomia da escola ou do agrupamento de escolas, professores tutores responsáveis pelo
acompanhamento, de forma individualizada, do processo educativo de um grupo de alunos,
de preferência ao longo do seu percurso escolar.
2- As funções de tutoria devem ser realizadas por docentes profissionalizados com
experiência adequada e, de preferência, com formação especializada em orientação
educativa ou em coordenação pedagógica.
Sem prejuízo de outras competências a fixar no regulamento interno, aos professores
tutores compete:
Desenvolver medidas de apoio aos alunos, designadamente de integração na turma
e na escola e orientação no estudo e nas tarefas escolares;
Promover a articulação das atividades escolares dos alunos com outras
atividades formativas;
Desenvolver a sua atividade de forma articulada, quer com a família, quer com os
serviços especializados de apoio educativo, designadamente os serviços de
psicologia e orientação e com outras estruturas de orientação educativa.


• Despacho conjunto 948/2003: o professor-tutor ou formador-tutor
articula com os vários elementos ou entidades envolvidas na execução
do plano (PEF).

• Despacho normativo nº50/2005: propõe o programa de tutoria para
apoio a estratégias de estudo; o Professor Tutor aparece no plano de
recuperação, no plano de acompanhamento e de desenvolvimento.

CONCEITUADNO A TUTORIA

Se olharmos do ponto de vista sociológico, tutoria é o processo que visa preparar as gerações de novos alunos e professores para substituírem as adultas e que, naturalmente, se vão retirando das funções ativas da vida social. A tutoria realiza a conservação e transmissão da cultura a fim de haver continuidade da mesma. O que se procura transmitir é o acervo funcional da cultura e disciplina, isto é, aqueles valores e aquelas formas de comportamento social de comprovada eficácia na vida de um centro e ou escola.

Se considerarmos o ponto de vista biopsicológico, a tutoria tem por escopo levar o indivíduo a realizar a sua personalidade, tendo em mira as suas possibilidades intrínsecas. Logo, a tutoria passa a ser o processo que tem por fim atualizar todas as virtudes do indivíduo, em um trabalho, realmente, de extrair de dentro do próprio indivíduo o que ele traz, hereditariamente, consigo.

A conceituação nos dois pontos de vista, o sociológico e o biopsicológico, então podemos dizer que a tutoria é conduzir “o que é” a uma plenitude de atualização e expansão, orientada em um sentido de aceitação social.
Tornando mais explícito: Tutoria é o processo que visa a capacitar o indivíduo a agir conscientemente diante de situações novas da vida, com aproveitamento da experiência anterior, tendo em vista a integração, a continuação e o processo sociais, segundo a realidade de cada um, para serem atendidas as necessidades individuais e coletivas.
Esta conceituação apresenta aspectos que precisam ser esclarecidos, para melhor compreensão, como: agir conscientemente diante de situações novas da vida; aproveitamento da experiência anterior; integração; continuidade; progresso; realidade de cada um, e necessidade individuais e coletivas.

Assim, a tutoria deve estimular o amadurecimento do homem ( docente, discente, família e comunidades) para uma tomada de consciência da realidade, bem como de suas possibilidades e necessidades de ação sobre a mesma, para que ela seja:
a)    Eficiente, através de adequada preparação profissional;
b)    Participante, através de seu interesse pelos problemas sociais e humanos;
c)    Responsável, através de uma severa compenetração das possíveis consequências de seus atos, principalmente com relação aos seus semelhantes.

Com isso leva-nos a pensar que: “O homem vai conquistando a sua liberdade, à medida que vai tomando consciência das suas possibilidades” (NÉRICI, 1971, p.27).
O melhor caminho para o amadurecimento do senso de responsabilidade é o exercício de atividades responsáveis,  que a escola pode proporcionar. Principalmente, através de atividades extra-classe,  com as instituições sob a direção dos próprios alunos – dependendo deles, pois, a vida e o desenvolvimento das mesmas.

OLIVEIRA, José Lopes de (São Paulo,2014).