Google+ Badge

sábado, 26 de janeiro de 2013

O NOSSO ASSENTAR COM CRISTO INDICA QUE POTENCIALMENTE ESTAMOS NO CÉU.


Efésios 2:1-22. Esta provavelmente é a exposição mais clara do evangelho em todas as epístolas de Paulo: somos salvos pela graça, por meio da fé, e não por méritos humanos ou boas obras. Não que os cristãos não façam boas obras, mas as obras não são exigências para que eles sejam aceitos por Deus nem são provas disso. Lutero fez uma síntese disso: “Não é contra as obras que lutamos, mas contra a confiança das obras”.


2:1 – A expressão mortos em ofensas e pecados significa espiritualmente mortos e perdidos.

2:2 Noutro tempo, andastes. O verbo andar normalmente é usado na Bíblia para descrever o progresso normal e firme de um cristão com Deus (Sl 1:1). Aqui Paulo se refere à antiga caminhada do cristão. Seja um caminho de negligência moral ou a viela escura do mal, os cristãos não devem mais andar nos maus caminhos do passado (Ef.4:17). Eles são salvos para que possam ter um estilo de vida pautado nas boas obras (v.10). Devem andar de maneira digna de sua vocação (Ef.4:1), o que significa andar em amor (Ef.5:2), na luz (Ef.5:8) e em sabedoria (Ef.5:15). Paulo enfatiza para os efésios que antes andavam segundo os caminhos do mundo e seguiam o príncipe das potestades do ar, ou seja, Satanás.

A expressão “filhos da” é um hebraísmo, uma forma de dizer que as pessoas [os filhos] têm como característica e caráter os mesmos traços de outrem [o pai]. Portanto, “os filhos da desobediência” são pessoas que desobedecem a Deus, sejam cristãos ou não. (Mt.16:23; Lc.22:31,32; At 5:3).

2:3 – vontade, em vontade da carne, significa desejos fortes. Mesmo com o modificador da nossa carne, essa palavra é mais do que uma referência a desejos humanos. Refere-se também a algo mais profundo, à concupiscência da carne, o desejo veemente por fama, poder e riquezas. (Gl.5:19-21).

2:4-7 – Estando nós ainda mortos. A Palavra de Deus está cheia de contrastes entre a incapacidade do homem e a suficiência do Senhor.

v.4 O escritor agora retoma à declaração que foi interrompida no versículo2. Mas Deus. Este é o contraste salvador. Sendo rico em misericórdia (veja as riqueza da sua graça e da glória 1:7,18). Não há limite para a misericórdia de Deus. Por causa do grande amor com que nos amou. A bíblia indicam repetidas vezes que o amor de Deus para conosco é a coisa mais importante, e não o nosso amor para com Ele. I Jo 4:9,10

v.5 Mortos em nossos delitos. Isto reverte à declaração de Ef.2:1. Nos deu a vida. Juntamente com Cristo. Aqui há um verbo composto que está ligado à palavra Cristo, para mostrar que o fato de estarmos vivos tem ligação com o fato dEle estar vivo, isto é, com Sua ressurreição. Pela graça sois salvos, está explicado e desenvolvido no versículo 8.

v.6 E juntamente com ele nos ressuscitou e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus. As Escrituras ensinam que fomos identificados com o Senhor Jesus Cristo, não apenas em Sua morte (Rm.6), mas também na Sua ressurreição e na Sua ascensão à direita do Pai.
A palavra Assentar é uma das grandes palavras desta epístola, indicando a posição que temos em Cristo, como participantes de uma redenção consumada e concluída e de uma vitória. Nos lugares celestiais. A terceira vez que esta expressão foi usada nesta carta. POR CAUSA DE NOSSA POSIÇÃO EM CRISTO, já estamos potencialmente no céu. Onde Ele realmente está.

v.7 Para mostrar nos séculos vindouros. A Igreja servirá de eterna demonstração da graça de Deus. A suprema riqueza da Sua graça 1:7 em bondade.

v.8 Porque pela graça sois salvos. Isto é, vós fostes salvos. A graça de Deus é a fonte da nossa salvação. Mediante a fé. Paulo não diz nunca por causa da fé, pois a fé não é a causa, apenas o canal por meio do qual recebemos a nossa salvação.  Isto não vem de vós. A palavra isto não se refere nem à graça nem à fé, mas a todo o ato da salvação. – “esta salvação não vem de vós mesmos” dom de Deus.

v.9 Não de obras. Este é o complemento negativo da afirmação precedente. O Espírito Santo tem sido muito cuidadoso em resguardar esta preciosa doutrina da salvação pela graça contra todas as formas de heresia. Obras nas escrituras são o produto ou fruto da salvação, não a causa dela. Para que ninguém se glorie. No céu ninguém vai se gloriar porque não haverá ninguém que tenha motivo de glória (ICo.4:7).

v.10 Somos feitura dele. O dele é enfático no original. Criados em Cristo Jesus para boas obras. O propósito de nossa nova criação é que andássemos nas boas obras. Agora a passagem completou o seu círculo, pois esse andar está em contraste direto com o andar descrito no versículo 2.

vv. 11-22. Uma das grandes verdades desta carta é que os judeus e gentios estão unidos no corpo de Cristo. Este corpo já mencionado em Ef. 1:23, e a união está descrita aqui com mais detalhes no capítulo 3.

O que os Gentios eram sem Cristo?! A linguagem desses versículos desenha um quadro tenebroso da posição dos gentios antes da vinda de Cristo.

v.11 – Portanto, lembrai-vos. A maior parte dos leitores originais de Paulo era gentios. O apóstolo aqui os faz lembrar de sua posição antes de ouvirem o Evangelho. Outrora vós gentios. Diante dos homens ainda eram gentios, mas não diante de Deus. Deus olha para todos os homens como judeus, gentios ou a Igreja (ICo 10:32). Quando alguém aceita o Senhor Jesus Cristo, quer seja judeu ou gentio, já não é mais tal diante de Deus, mas passa a ser membro do Corpo de Cristo, chamados incircuncisão. Esse era um espírito insolente aplicado pelos judeus aos gentios.

v.12 – Separados da comunidade de Israel. No V.T Deus tinha um convênio com a nação de Israel e governava esse estado diretamente. Aqueles, que não eram judeus, eram estrangeiros. Não tendo esperança e sem Deus, só podiam tomar conhecimento do convênio e das promessas do Senhor através de Israel. As expressões descritivas vão se tornando cada vez mais sérias. Judeus e gentios foram unidos em Cristo, e o último agora está tão perto dele quanto aos primeiros.

v.13 Mas agora. Isto indica um contraste à sua anterior posição. Em Cristo Jesus. Antes estavam no mundo (v.12). Sua condição era sem esperança. Agora estão em Cristo, com todos os privilégios do céu. Observe os diversos contrastes nestes versículos – no mundo, em Cristo Jesus; naquele tempo, agora; separados, aproximados.

v.14 – Ele é a nossa paz. Aqui o apóstolo demonstra o progresso desta seção: ele é a nossa paz, (v.14) fazendo a paz, (v.15); evangelizou paz (v.17). De ambos fez um. Isto é, judeus e gentios. Tendo derrubado a parede da separação pode ser uma alusão à parede que separava o Pátio dos gentios e o Pátio dos Judeus no Templo. Uma inscrição nessa parede advertia os gentios da pena de morte, se entrassem o Pátio dos Judeus. Agora, diante de Deus, não há mais distinção. (Rm.1:2,3).

v.15- A inimizade. Talvez em aposição à “parede de separação que estava no meio” um novo homem. Não um indivíduo, mas a nova criação da qual Cristo é o cabeça.

v.16 – Ambos. Novamente uma referência aos judeus e gentios. Destruindo por ela a inimizade. Isto é, pela cruz.

vv.17 e 18 – desdobram mais esta verdade da união do judeu com o gentio em Cristo. Vós outros que estáveis longe. Os gentios. Aos que estavam perto. Os judeus. V.18 observe a ênfase sobre a palavra ambos (vs.14,16,18) ambos unidos, ambos reconciliados com Deus, ambos tendo acesso.

v. 19 – Assim. A conclusão lógica do que foi escrito. Já não sois estrangeiros e peregrinos. A posição desses gentios foi inteiramente revertida da sua condição anterior, descrita neste capítulo. Mas concidadãos dos santos. Em Cristo, judeus e gentios têm uma nova cidadania (Fp.3:20,21).

v.20 Edificados sobre o fundamento. A Igreja, que é o Corpo de Cristo, está sendo apresentada aqui como um grande edifício, o templo de Deus. Os apóstolos. Os homens especialmente designados pelo Senhor Jesus Cristo no começo da Igreja. Eles não tiveram sucessores. E Profetas. Não profetas do VT, mas profetas cristãos, os profetas do NT, alguns dos quais são mencionados e descritos no livro de Atos e nas epístolas. Sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular. Passagens como esta em I Pe 2:5 ajudam-nos a entender o significado de Mt.16:18. Pedro, sendo um apóstolo, foi uma das pedras fundamentais junto com os demais apóstolos e profetas, mas a estrutura como um todo está edificada sobre Cristo. Veja I Co 3:11.

v.21 – Todo edifício. O apóstolo está falando de um só edifício, o Corpo místico de Cristo. Esta interpretação está confirmada pela linguagem do que vem a seguir. Israel no VT tinha um templo de madeira e pedra. Em contraste com este, a Igreja é o templo (I Co 3:16; I Pe. 1:2-9). Um templo é um lugar da habitação de Deus, como diz o versículo 22.

Forte abraço no amor de Cristo e até a próxima semana com o Cap.3








quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

PRATICANDO A PALAVRA



  1. TIAGO Cap.1:19-27

    Começar o estudo de um livro da Bíblia não é muito diferente de se preparar para uma viagem: queremos saber para onde estamos indo e o que veremos.

    Talvez a melhor maneira de dar início a um estudo sobre a Epístola de Tiago seja respondendo a quatro perguntas importantes: 1) Quem foi Tiago? - 2) Para quem Tiago escreveu? - 3) Por que Tiago lhes escreveu? – 4) Como aproveitar ao máximo este estudo?

    Antes de começarmos propriamente nossa meditação, desejo dizer-lhes que não iremos aprofundar na resposta de cada uma da indagações acima. Pois o espaço aqui é curto, mas iremos dizer-lhes apenas o básico e necessário à nossa reflexão.

    1. Quem foi Tiago? “Tiago servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” 1:1a. É assim que ele se apresenta. Tiago era um nome bastante comum, uma variação da designação Jacó do Antigo Testamento. Encontramos vários homens com esse nome na história do Novo Testamento. Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João. Tiago, filho de Alfeu. Tiago, pai de Judas o discípulo e Tiago, irmão de nosso Senhor Jesus Cristo. Parece ser o candidato mais provável à autoria desta carta. Mateus 13:55,56 e Marcos 6:3. Afirmam que Jesus tina irmãos e irmãs, e um deles se chamava Tiago.

    2. Para quem Tiago escreveu? Para as “doze tribos que se encontram na dispersão” 1:1b. Tiago escreveu a judeus que viviam fora da Palestina. O termo “doze tribos” pode significar apenas o povo de Israel, a nação judaica. (Atos 26.7). O fato de muitos judeus viverem fora da Terra Prometida mostra o declínio espiritual de sua nação naquele tempo.

    Os cristãos judeus espalhados por todo o império romano tinham necessidades e problemas específicos. Pelo fato de serem judeus, sofriam a rejeição dos gentios, e, pelo fato de serem judeus cristãos, eram rejeitados pelo próprios compatriotas. Essa carta indica que a maioria desses cristãos era pobre e que alguns deles eram oprimidos pelos ricos.

    3. Por que Tiago lhes escreve? Ao ler a Epístola de Tiago, observamos que esses cristãos judeus tinham problemas em sua vida pessoal e na congregação. Dentre outras coisas, passavam por grandes provações e enfrentavam tentações. Alguns cristãos davam toda a atenção aos ricos, enquanto outros eram roubados pelos ricos. Os membros da igreja competiam por cargos de liderança, especialmente na área do ensino. 

    Uma das principais dificuldades da igreja era que muitos de seus membros não viviam de acordo com sua profissão de fé. Além disso, a língua também causava problemas sérios, a ponto de gerar conflitos e divisões na congregação. Outro problema dizia respeito à mentalidade mundana. Alguns cristãos  estavam desobedecendo à Palavra de Deus e, por causa disso, ficaram fisicamente enfermos; alguns estavam se afastando do Senhor e da igreja. Enfim, faltava-lhes a maturidade espiritual.

    4. Como aproveitar ao máximo este estudo? Uma vez que o tema é maturidade espiritual, é bom começar examinando o próprio coração para ver em que fundamento estamos na vida cristã. O crescimento espiritual deve ser medido de acordo com as Escrituras. Não se deve usar como modelo a vida de outros cristãos, mas sim a Palavra de Deus e o Filho de Deus.

    Nem todos que crescem em estatura crescem em maturidade. Há uma diferença em crescer e amadurecer. Cristãos maduros são cristãos felizes e úteis, que ajudam a encorajar outros e a edificar sua congregação. Com a ajuda de Deus, ao estudar juntos a Epístola de Tiago, aprenderemos e cresceremos em maturidade.

    PARE DE SE ENGANAR – Tiago 1:19-27

    v.19 – Pronto para ouvir – “Quem tem ouvidos para ouvir ouça” (Mt 13.9). “E, assim, a fé vem pelo ouvir da pregação, e a pregação pela palavra de Cristo” (Rm.10:17). Assim como o servo está preparado para ouvir a voz de seu senhor e a mãe está preparada para ouvir o menor choro de seu bebê, o cristão também deve estar pronto para ouvir o que Deus tem a dizer.
    Tardio para falar, o fato de termos dois ouvidos e uma boca deve servir para nos lembrar de ouvir mais do que falar. “Mas o que modera os lábios é prudente” (Pv.10:19). “Quem retém as palavras possui o conhecimento” (Pv.17:27).

    Tardio para se irar. Não devemos nos irar com Deus nem com sua palavra. “O longânimo é grande em entendimento, mas o de ânimo precipitado exalta a loucura” (Pv.14:29).
    Tiago nos adverte a não nos irarmos contra a Palavra de Deus, pois ela revela nossos pecados.
    Ao ler o v.20 notamos que a ira do homem não produz a justiça de Deus. Na verdade, a ira é exatamente o oposto da paciência que Deus deseja produzir em nossa vida, à medida que amadurecemos.

    v.21 – Um coração preparado. Como preparamos o nosso coração para a Palavra de Deus? Confessando os nossos pecados I Jo 1:9, meditando sobre o amor e a graça de Deus pedindo a ele para tirar qualquer dureza de nossos corações. Jr. 4:3 e por fim, devemos ter uma atitude de “mansidão”. Quando recebemos a Palavra com mansidão, aceitamos o que ela diz, não tentamos distorcê-la, a fim de encaixar com nosso modo de pensar. Pois quem não receber a Palavra como ela é, está enganando a si mesmo. Os cristãos que gostam de discutir sobre vários “pontos de vista” podem estar se iludindo. Pensam que suas discussões promovem crescimento espiritual, quando, na verdade, talvez só estejam cultivando ervas daninhas.

    vv. 22 -25 – Não basta ouvir a Palavra, também se deve colocá-la em prática. Muitas pessoas têm a ideia equivocada de que ouvir um bom sermão ou estudo bíblico é o que as faz crescer e receber a benção de Deus. Não é o ouvir, mas sim o praticar que redunda em benção.
    vv.23-25 – Exame. Esta é a razão principal de ter um espelho: poder examinar a si mesmo e se certificar de que a aparência está o mais limpa e arrumada possível. Quem se olha no espelho da Palavra de Deus vê-se como é de fato. Tiago menciona vários erros que as pessoas comentem ao olhar no espelho de Deus.

    Primeiro, elas apenas se olham de relance. Não estudam a si mesmas com cuidado ao ler a Palavra. Segundo, é que se esquecem do que vêem. Se estivessem olhando para os lugares mais profundos do coração, o que veriam seria inesquecível. O terceiro erro que cometem é não obedecer ao que a Palavra ordena. Pensam que ouvir é o mesmo que fazer, quando, na verdade, são duas coisas diferentes. Nós gostamos de colocar o falar, no lugar de fazer.

    vv.26,27 COMPARTILHAR A PALAVRA. A palavra traduzida por “religião” significa “a prática exterior, o culto a um deus”. É usado apenas cinco vezes em todo o Novo Testamento (Tg.1:26,27; At.25:19; 26.5 e Cl.2:18), em que é traduzido por “culto”.

    A religião pura não tem relação alguma com cerimônias, templos ou dias especiais. Antes significa praticar a Palavra de Deus e compartilhá-la com outros por meio de nosso falar, serviço e separação do mundo. (Às vezes preocupamos muito mais com bem-estar para com os de fora! E esquecemos os de dentro, os irmãos da igreja, era isso que Tiago estava dizendo, ter cuidado e preocupação com os domésticos da fé.). Como cristãos, temos a obrigação de ajudar a suprir as necessidades dos outros sem fazer acepção de pessoas. “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé” (Gl. 6:10). “Sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mt.25:40).

    v.26 O falar. A Epístola de Tiago refere-se ao falar em várias ocasiões, dando a impressão de que a língua era um problema sério na congregação (Tg.1:19; 2:12; 3:1-3, 14-18; 4:1,12). A língua revela o coração (Mt.12:34,35); se o coração estiver em ordem, o falar também estará. Uma língua controlada significa um corpo controlado (Tg.3:1ss).

    v.27 – O serviço. Depois de nos vermos no espelho da Palavra, devemos olhar para os outros e para suas necessidades. Isaías primeiro viu o Senhor, depois a si mesmo e, em seguida, as pessoas às quais deveria ministrar (Is 6:1-8) Palavras não substitui atos de amor (Tg.2:14-18; I Jo 3:11-18) Deus não quer que paguemos para outros ministrar como substitutos de nosso serviço pessoal. (Mt.28:18-20, Mc 16.15; Atos 1:8... Evangelismo e discipulado. Nas casa e no templo todos os dias. Atos 2:46,47; ensinando todos os dias nas casa Atos 5:42; e anunciar nas casa Atos 20:20.)

    A separação do mundo. (v.27b) ao falar sobre o mundo, Tiago refere-se à “sociedade sem Deus”. Satanás é o príncipe deste mundo (Jo14.30), e os perdidos são filhos deste mundo (Lc16.8). Como filhos de Deus, estamos fisicamente no mundo, mas não somos espiritualmente do mundo (Jo17:11-16). Somos enviados para o mundo a fim de ganhar outros para Cristo (Jo 17:18). Somente mantendo a separação é que se pode servir outros. Porém, devemos ter cuidado com a fé salvadora, para não confundirmos com as boas obras visando a salvação. Ajudar os necessitados é uma expressão de amor, e a fé opera pelo amor. A fé em Cristo vivifica e onde há vida deve haver crescimento e frutos.

    Você deseja conhecer mais sobre Deus e sua Palavra? Participe de nos encontros às terças e sextas-feiras às 20h.

    Onde? MISSÃO BATISTA EM VILA UNIÃO.
    Rua Jorge de Freitas, 169 – travessa da Rua da Balsa, próximo à Ponte do Piqueri - Vila União/SP

    Sejam todos bem-vindos!!!

    Forte abraço e que Deus continue a iluminar o seu caminho.
    Pr. J.Lopes.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Sermão Expositivo Capítulo Primeiro do Livros aos Efésios

Prezados amigos leitores, conforme prometi, posto aqui o Primeiro Capitulo do Livro Aos Efésios e espero que o seja edificante em sua vida com a Paz de Cristo.


G.I.  A COMUNHÃO DA IGREJA FAZ A UNIDADE NO CORPO DE CRISTO.
Ef.1:1-3:21
Na primeira metade da Carta aos Efésios, como em outras várias epístolas de Paulo, são enfatizadas as doutrinas e crenças nas quais se baseiam os deveres e o comportamento comentados na segunda metade da epístola.

1:1,2 – As saudações nas epístolas segue a forma de uma carta típica do primeiro século: o escritor é mencionado primeiro e o destinatário em segundo. Depois vem as bênçãos ou votos desejando que todos estejam bem de saúde.
O dom gratuito da salvação, que é a graça de Deus, leva o ser humano à paz com Deus e com seus semelhantes e a uma vida plena. A deidade do Senhor Jesus Cristo fica clara quando o associamos ao Pai.

1:3 – as bênçãos são, espirituais. Deus não promete saúde, riqueza e prosperidade aos cristãos. A expressão nos lugares celestiais sugere que o cristão, vivendo em qualquer lugar do mundo já está, neste momento, em um sentido espiritual assentado com Cristo nos céus.

1:4,5 – Caridade corresponde ao termo ágape no grego, sou seja, ao amor divino que é gerado em nós pelo Espírito Santo, quando, por escolha e vontade própria, entregamo-nos a Cristo, não é um sentimento romântico.

Nos predestinou. A predestinação aqui não indica determinismo insensível ou um destino predeterminado. Consiste escolha amorosa da parte de Deus.
A palavra segundo (grego Kata) é um termo significativo em Efésios, mas pode não ser notado, já que se trata de uma preposição comum. Paulo o emprega 14 vezes nesta epístola.

No capítulo 1, lemos segundo o beneplácito de sua vontade (v.5), segundo as riquezas da sua graça (v.7), segundo o seu beneplácito(v.9), segundo o conselho da sua vontade(v.11), segundo a operação da força do seu poder (v.19).

No capítulo 3, lemos segundo a operação do seu poder (.7), segundo a riqueza da sua glória (v.16) e segundo o poder que em nós opera (v.20). Tudo isso quer dizer que Deus não nos dá Sua graça simplesmente por causa de Sua abundancia, mas de acordo com sua vontade.

1:6 – Amado também ´poderia ser traduzido por aquele que Deus ama, ou seja, Jesus Cristo. Em colossenses 1:13, Paulo usa uma expressão similar: Filho do seu amor. O amado é um “título” messiânico que se refere ao Filho de Deis. Jesus não é simplesmente um no meio dos outros que são amados por Deus, é o Filho amado.

1:7,8 – Redenção. Este termo significa comprar de volta, resgatar. Nos tempos antigos, era possível comprar de volta uma pessoa que havia sido vendida como escrava. Do mesmo modo, Cristo, por meio de Sua morte, comprou-nos para Deus, resgatou-nos da escravidão do pecado.
Seu sangue. O sangue de Cristo é o meio pelo qual se realiza a nossa redenção. O Antigo e o Novo Testamento ensinam claramente que não há perdão sem o derramamento de sangue, que implica a morte de alguém. Isso faz alusão ao sistema de sacrifícios da antiga aliança, que apontava para o autos sacrifício de Jesus Cristo, o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

1:9 – O mistério não é um enigma a ser decifrado nem um tipo de conhecimento comum aos iniciados em uma seita ou religião pagã. No uso que o apóstolo faz do termo, mistério denota um aspecto da vontade de Deus que antes estava oculto ao ser humano, mas foi revelado por Ele em Cristo. (Rm 11:25)

1:10 – A palavra dispensação significa regra da casa. Refere-se ao modo como deus administrou ou dispôs toda a história para cumprir Seu plano de salvação a humanidade, o qual tem fases distintas, embora o Senhor nunca mude. Neste contexto, dispensação provavelmente se refere ao tempo em que Deus estabelecerá Seu Reino eterno.

1:11,12 – Nós (sujeito oculto), judeus, em Cristo fomos feitos herança, o que é muito melhor do que a herança prometida na antiga aliança. Não se trata de algo novo, mas em Cristo fomos predestinados (planejados), conforme o propósito de Deus, desde o começo.

1:13 – Neste trecho, Paulo se refere aos gentios (vós). A ênfase está na obra do Espírito Santo. Este sela cada cristão, transformando-o em um bem especial de Deus por meio da fé; representa a garantia de que somos aceitos por Deus por meio da fé em Cristo. O objetivo do Espírito Santo é produzir uma Igreja totalmente perfeita, sendo Cristo Jesus a cabeça dela e os cristãos os membros desse Corpo espiritual.

1:14 – O penhor da nossa herança é o próprio Espírito Santo. O interessante é que a palavra penhor pode ser usada para indicar um anel de noivado. Como Cristo é o Noivo, e a Igreja é a noiva, o Espírito Santo é o sinal, o pagamento antecipado para o casamento há muito esperado entre os dois (Apoc. 19:7,8).
Possessão. O antigo Testamento descrevia a nação de Israel como um tesouro particular de Deus, que foi adquirido por ele por meio de Seus feitos poderosos de libertação do Egito, no êxodo (Êx. 19:5; Dt. 7:6). Aqui, Paulo descreve os cristãos como bens do Senhor, que custaram o sangue de Seu Filho.

1:15-23 – Aqui está a oração de intercessão mais ardente de Paulo por estes cristãos. Depois de agradecer por eles (vv.15,16, o apóstolo ora para que tenham discernimento espiritual (v.17) quanto á glória da sua herança (v.18) e à sobre excelente grandeza do seu poder (vv.19-23).

1:15 – Ouvindo eu (Cl.1.5,9), Paulo não menciona que orou por esses cristãos antes de tomar conhecimento da fé deles. Como a oração de Paulo é diferente de grande parte das nossas! Muitas vezes, pedimos a salvação de pessoas perdidas e, depois, quando elas passam a crer em Cristo, nós as abandonamos. Paulo fazia justamente o contrário. Talvez ele tenha se inspirado no modelo de oração do Senhor (Jo.1:7,9,20).

1:16,17 – Minhas orações. Quando examinamos as orações de Paulo, aprendemos sobre a natureza da intercessão. Grande parte de nossas orações fica aquém da intercessão eficaz.
1:18,19 – A expressão os olhos do vosso entendimento (coração) se refere ao entendimento espiritual. Para descrever isso, Paulo usa palavras capazes de retratar o coração que enxergava iluminado pela luz divina. Qual seja a esperança significa que os cristãos podem esperar muitas coisas, mas há uma esperança que todos têm em comum (Ef.4:4), o Senhor Jesus Cristo esperança e as verdadeiras riquezas.

1:20 – Manifestou em Cristo. A ressurreição de Cristo dentre os mortos foi a expressão do poder de Deus e a prova do que o Senhor pode fazer em nós e por nós.
Pondo-o. Cristo Jesus não somente ressuscitou dos mortos. Deus lhe deu um lugar à sua direita. Jesus assentou-se à destra do Pai, lugar de honra e poder, como o filho de Davi, em cumprimento às profecias messiânicas nos Salmos 2 e 110. Jesus Cristo permanecerá à direita do Pai até que os inimigos de Deus sejam subjugados e chegue o momento da volta de Cristo, para estabelecer plenamente o Reino de Deus entre os homens.

1:21 – Para os judeus da época de Cristo, o final dos tempos estava dividido em dois períodos: a era na qual eles viviam e o porvir. O Messias, chamado aquele que havia de vir (Mt.11:3; Lc.8:19,20), reinará plenamente na terra {como já reina no céu} no século vindouro.

1:22,23 – Em efésios, Paulo enfatiza Cristo como cabeça da Igreja, e em sua carta aos Colossenses, escrita durante o mesmo período em que ele estava preso, Paulo enfatiza a unidade do Corpo de Cristo. A igreja aqui, em Efésios, não se refere a nenhuma congregação local, mas a todos os cristãos, o Corpo espiritual de Cristo.

Forte abraço no amor de Cristo e até a próxima semana, quando postaremos o capítulo dois.



sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O CAMINHO DO MINISTÉRIO É LONGO ATRAVÉS DE PRECEITOS, BREVE E EFICAZ ATRAVÉS DE EXEMPLOS


ESTUDO EXPOSITIVO DO LIVRO AOS EFÉSIOS
  Prezados amigos leitores. A  partir desta semana faremos estudo expositivo neste livro para o nosso elevo e deleite espiritual. neste momento escrevo apenas um breve relato de alguns aspectos que acho muito importante para o entendimento de nossa pesquisa.

Na próxima semana postarei o Primeiro Capítulo comentando versículo por versículo.

Fonte de pesquisa: Bíblia Sagrada, Dicionário Bíblico, Comentário Bíblico de Moody. Ed. EBR, Dicionário de Aurélio, Gramática Grega: Uma sintaxe Exegética do Novo Testamento. Wallace - EBR, Teologia Sistemática Histórica e filosófica. Shedd Publicações.


DIVISÕES DO LIVRO

I – Doutrinas para os membros do Corpo de Cristo – 1:1 – 3:21
A)    Saudação de Paulo 1:1,2
B)     A eleição de Deus – 1:3-12
C)    O selo do Espírito – 1:13-23
D)    A salvação pela graça por meio da fé – 2:1-10
E)     A unidade do Corpo de Cristo 2:11-22
F)     O mistério do Corpo de Cristo.
II – Deveres dos membros do Corpo de Cristo – 4:1-6:24
A)    Andar de maneira digna – 4:1-6
B)     Edificar o Corpo por meio dos dons pessoais – 4:7-16
C)    Revestir-se da nova criatura 4:17-32
D)    Ser imitadores de Cristo – 5:1-21
       1.Andando em amor – 5:1-7
       2.Andando na luz – 5:8-14
       3.Andando em sabedoria 5:15-17
       4.Andando no Espírito 5:18-21
E)     Promover a harmonia no lar – 5:22-6:9
1.Entre esposa e marido – 5;22,23
2.Entre filhos e Pais 6:1-4
3. Entre servos e senhores 6:5-9
                F) Revestir-se de toda a armadura de Deus – 6:10-20
            G) Saudação final de Paulo 6:21-24




CONTEXTO GEOGRÁFICO:

Éfeso era a capital da província romana da Ásia (hoje, parte da Turquia). Localizada na interseção de várias rotas comerciais importantes, era o centro comercial vital do império romano.
Era o local em que se encontrava uma das sete maravilhas do mundo antigo, um templo famoso dedicado a Diana (ou Afrodite). O mais importante, no entanto, é que Éfeso figurou de forma notável e impressionante na história da Igreja primitiva, pois Paulo usou a cidade como base de sua obra missionária naquela região.



CONTEXTO HISTÓRICO

Em Roma, Paulo estava oficialmente sob custódia. Mas, embora seus movimentos fossem restritos, ele continuou a orientar a Igreja primitiva e a pregar o evangelho. Os romanos podiam prendê-lo, mas não podiam deter a propagação das boas-novas.
Inúmeras congregações locais surgiram ao longo dos caminhos percorridos pelo apóstolo em três viagens missionárias. Os membros destas igrejas anunciavam o evangelho não somente por meio de palavras, mas também com a vida que levavam.
Paulo escreveu a carta aos Efésios para fortalecer essas congregações, que eram o Corpo de Cristo. Ele queria que elas entendessem o poder espiritual, Cristo, por trás dos inúmeros grupos que se reuniam em casa por todo o mundo e que se encorajassem mutuamente na fé.


CONTEXTO BÍBLICO LITERÁRIO

A primeira metade da carta (Cap 1-3) trata das doutrinas centrais da fé cristã, enquanto a segunda (Cap.4-6) descreve como essas verdades devem refletir-se na conduta do cristão.

Na primeira parte a conduta do cristão, na segunda o conflito espiritual com as forças do mal, com a passagem bem conhecida que descreve a armadura espiritual de um cristão (Ef.6:10-18). Mas toda a carta enfatiza a verdade de que todos os cristãos estão unidos em Cristo porque a igreja é o Corpo de Cristo.

No fim da carta, Paulo apresenta muitas maneiras de os membros da Igreja unirem-se contra as forças do mal. Cada cristão deve fazer sua parte com a finalidade de que todo o corpo funcione de forma adequada. Maridos, esposas, filhos, servos e senhores, todos têm uma tarefa no Corpo de Cristo e devem exercê-la bem.
Paulo se identifica como autor da carta no início e no meio do texto. Ef. 1:1;3:1


APLICAÇÃO:

Olhando para todo o contexto bíblico, uma pergunta se faz; “O que vou ganhar com isso?”
Pedro e outros discípulos queriam saber o que ganhariam por seguir Cristo. Nós deixamos tudo e te seguimos. Que receberemos/ Mt.19:27. Outras palavras: “que proveito há nisso?”, “o que vou ganhar com isso?

Paulo fala sobre parte da recompensa dos cristãos aqui, em Efésios 1:3-14. Uma vez que grande parte dela será concedida no futuro, na eternidade, a linguagem paulina é estranha e difícil de entender. Mas Efésios 1:11, Paulo menciona a herança que está à nossa espera. O que vamos receber em Cristo? Tudo o que Deus preparou para Cristo na plenitude dos tempos Ef.1:10 vai ser nosso também Rm 8.8:15. Isso inclui a libertação do pecado Hb 1:14, a vida eterna Mt.19.29 e o Reino de Deus Mt.25.34.
Isso é pura ilusão? Não, Deus já nos dá vislumbres daquele futuro inimaginável. O Espírito Santo vive dentro de nós como uma garantia das coisas que hão de ser nossas Ef. 1:14. Ele nos sela, assegurando que permaneceremos na família de Deus e não percamos a nossa herança. E, enquanto seguirmos em frente a cada dia, Ele opera em nós para tornar-nos parecidos com Cristo. Paulo descreve como isso acontece do quarto ao sexto capítulo de Efésios.


O poder da Oração
Nossos problemas podem facilmente levar-nos a deixar de ver a vida por uma perspectiva mais ampla. As rotinas e pressões diárias podem criar dúvidas quanto à nossa importância. E, uma vez que estamos num mundo em que o tempo é um fator importante, é fácil acreditarmos que dificuldades como doença, conflitos, solidão, insegurança ou medo podem atrapalhar nossa vida.

Os cristãos efésios viviam sob muita pressão. Sua fé nasceu no calor de perseguições, conflitos, demandas em tribunais e em meio à mudança econômica Atos 19:23-40. Mais tarde, quando Paulo escreveu essa carta aos efésios, ele os incentivou a desenvolver e manter em sua vida e sua fé a perspectiva de Deus:
  • Olhando para trás, Paulo assinala o que Deus lhes havia feito antes de serem salvos 1:3-8
  • Olhando para frente, Paulo lista os benefícios que a fé traria aos efésios 1:9-14
  • Atentando para o momento, o apóstolo orou para que os cristãos tomassem conhecimento dessas realidades e as compreendessem e sentissem o poder de Deus Ef. 1:15-23. Ele também orou para que a identidade deles estivessem arraigada nas verdades eternas e no poder de Deus que estava presente neles. 3;14-21

 CONCLUSÃO

Cristo influencia o comportamento das pessoas? Sim, e Paulo dá uma ilustração concreta do que significa a expressão vos revistais do novo homem Ef.4.24,28. Depois que Cristo entra na vida de um pecador, este não é mais dominado pelo pecado, podendo levar uma vida justa, em santidade e amor. Assim, uma pessoa que roubava não pratica mais esse delito; antes, muda sua maneira de pensar e agir, ocupando-se em um emprego digno e honesto, para sobreviver. Ela se torna um membro produtivo que trabalha e contribui para o desenvolvimento da sua família e sociedade.
Mas a transformação que Deus opera no homem submisso a Cristo que nasceu de novo não para por aí. Uma vez que Deus faz uma pessoa prosperar materialmente por meio do trabalho, ela pode contribuir com suas ofertas para suprir as necessidades de outros. Cristo transforma um improdutivo em um ofertante.

Que Deus muito lhe abençoe. e Até a próxima com o Capitulo 1 Aos Efésios.
Forte abraço de seu Missionário Pr J.Lopes.



segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Evangelismo IBVZ: MISSÕES NA VILA UNIÃO

Evangelismo IBVZ: MISSÕES NA VILA UNIÃO: Olá queridos irmãos,  No próximo sábado, dia 10/11, nós apoiaremos o trabalho missionário do Pr. José na Vila União. Mas antes de p...