Google+ Badge

sábado, 17 de novembro de 2012

A SEXUALIDADE PREMATURA





A Sexualidade Prematura




As influências do meio na
formação sexual das crianças e   
adolescentes







                                    JOSÉ LOPES DE OLIVEIRA

1  INTRODUÇÃO
Uma educação com falta de informações corretas e pouca intimidade com o nosso próprio corpo, acaba por transformar a sexualidade em tabu; geralmente impregnado de preconceitos, medos e dúvidas.
Porém a sexualidade relaciona-se ao ser sexual, ao prazer, amor à vida. Ela não se restringe apenas no ato sexual.
2  JUSTIFICATIVA
É cada vez mais prematura a iniciação sexual, a banalidade, a busca constante  pelo prazer, a descoberta do seu próprio corpo.
O sexo é que gera o mundo, pois sem ele não existiríamos. A sexualidade está na essência dos seres vivos, mas os seres humanos passaram a ver apenas um aspecto do seu corpo: o sexual, sem levar em conta, a inteligência, moral e a ética.  As pessoas se entregam a outras, sem existir amor, sem planejar o casamento e as consequências são: gravidez indesejada, abortos, perda da juventude.
Neste sentido é importante uma educação sexual voltada para a formação da pessoa humana como todo, e não apenas como prevenção de doenças.
3   HIPÓTESE
A sexualidade prematura é devido o bombardeio da mídia
4   DESENVOLVIMENTO
Os questionamentos sobre o sexo deveriam iniciar na família e depois aprofundar na escola e nos meios religiosos. Infelizmente não acontece, ora por omissão ora por falta de tempo. Com essa ausência as crianças ficam em creches, onde há todo tipo de formação, devido  a desestruturação de muitas famílias.
O professor e o pastor tem um papel fundamental nessa formação, que muitas vezes deverá provocar o assunto para poder esclarecer num vocabulário condizente com a idade, falando com clareza, objetividade e sem preconceitos.
As manifestações sexuais constantemente transmitidas pela mídia são fantasias que induzem a ficam gravadas na mente das crianças e adolescentes. Muitos passam a maior parte do tempo em frente da televisão ou brincando na rua, de onde trazem todas as informações, que na maioria são deturpadas.
Tudo em nossa vida tem o momento certo e com o sexo não é diferente. Cabe a cada um de nós termos um discernimento para compreendermos quando será o momento certo, para evitarmos consequências desagradáveis e sequela.

Título: A Sexualidade Prematura
Tema: A influência do meio na formação sexual das crianças e dos adolescentes.

Cenário: Sala de Estar
MÃE: meus filhos já estão ficando adolescentes e ainda não criei coragem para falar de sexo com eles, tenho pouca intimidade com minha filha, precisamos conversar,.. estou ouvindo umas conversas dela com suas amigas.....huuuuuummmm.....
O marido chega do trabalho
MÃE: Oii Ruy, como foi o seu dia hoje?... Precisamos conversar um assunto muito sério e delicado, você não percebeu nada de estranho no comportamento de nossos filhos?
PAI: Que comportamento?! Não percebi nada não!!! Lá vem você com suas idéias, anda lendo demais!!!
MÃE: A Ângela já está ficando mocinha, anda muito quieta ultimamente, fica nos cantos lendo umas revistas às escondidas, e ou às vezes no internet, quando pergunto alguma coisa me responde rispidamente.
PAI: Que revistas são essas que minha filha anda lendo!!? É sua obrigação de vigiá-la!!
MÃE: Calma Ruy nada de demais! Quer dizer eu acho que não. As revistas não são tão ofensivas, essas revistas de adolescentes; Querida, carícia... Mas essas revistas muitas vezes ensinam coisas erradas e incentiva a sexualidade prematura.
PAI: É verdade, como é difícil falar com nossos filhos essas coisas, mas se nós que somos pais não falarmos da maneira correta, eles irão aprender de qualquer jeito, e infelizmente da maneira errada.
MÃE: Por isso devemos falar, ontem mesmo encontrei debaixo do colchão do Rodrigo, umas revistas muito feias, fiquei horrorizada.
PAI: Que revistas? Porque não me mostrou?   (fala debochando... e com malícia...)
MÃE: Ruy!!!! ( em tom de repreensão)
PAI: Estou brincando! E o que você fez?
MÃE: Queimei; claro!
PAI: Como os tempos estão mudados, é cada vez mais prematura a iniciação sexual dessa nossa juventude, eles nem esperam o corpo formar direito.
MÃE: é por isso que acho importante uma educação sexual para a formação da pessoa humana como todo, começando por nós pais, escola e depois na igreja. Mas infelizmente os pastores não abordam esse assunto, parece que tem medo!
PAI: É verdade, mas infelizmente ensinamos errado. Dizendo que sexo é coisa ruim, nojento e feia.. coisa que sabemos que não é. ( em aspecto brincalhão)
MÃE: Ruy, você leva tudo na brincadeira. A coisa é séria

Cenário II – Os filhos chegam...
RODRIGO: Mãe quem arrumou meu quarto?!!!
MÃE: Fui eu, por quê?
PAI: Rodrigo, como conseguiu aquelas revistas?
RODRIGO (nervoso): Mãe, não disse que não queria que mexesse nas minhas coisas? Isso é invasão de privacidade. Você não tinha que mexer lá! Odeio que mexam nas minhas coisas.
PAI: Rodrigo senta aqui!!! Precisamos conversar! Ângela senta também conversamos todos juntos.
RODRIGO E ANGELA: Lá vem sermão!!! Ninguém merece isso!!!
RODRIGO: Não tenho nada que conversar com você. Quero saber das minhas revistas, que não são minhas, preciso entregá-las ao Paulo, prometi que entregaria amanhã. E agora??
MÃE:  Não sei e nem quero saber o que você vai falar para ele, o fato é que estão queimadas, não quero estas coisas aqui em casa.
PAI: Filhos, eu sei que nesta idade é normal esses comportamentos, somos amigos, e gostaríamos que vocês contassem conosco para tudo. Eu e sua mãe também já passamos por essa fase. A sexualidade é essência do ser humano, ela relaciona com o prazer, ao amor, a vida, não restringe apenas ao ato sexual.
MÃE: Filha, você tem alguma coisa a nos dizer? Está tudo bem?
ANGELA: sobrou pra mim. Estou bem porquê?
MÃE: Nada específico, só gostaríamos de conversar um pouco, sabermos quais são suas dúvidas, angústias, estamos aqui para ajudá-los. Sei que devíamos ter conversado antes, mais nunca é tarde, confesso a vocês que não está sendo fácil pra nós esse conversa.
PAI: É verdade filhos, esta conversa já deveríamos ter tido antes, mas agora surgiu a oportunidade, gostaríamos que fossem sinceros conosco.
MÃE: Filha, ontem ouvi sem querer uma conversa sua pelo telefone com sua amiga... Você arrumou um namoradinho?
ANGELA: (Envergonhada) Mãe!?!
PAI; Pode falar filha, não estamos aqui para recriminá-los, o namoro é natural e faz parte de todo ser humano, o que não é natural é a banalização dele, a entrega do corpo apenas pelo prazer.
MÃE: É filha, o namoro é o período do conhecimento do outro, mas infelizmente a mídia as revistas, programas de TV, propaganda etc. mostram tudo errado, passando valores imediatistas de satisfação individual. O que você acha disso filha?
ANGELA: (timidamente) É verdade mãe, sabe a Marina, aquela minha amiga?
MÃE:  Aquela que mora no final da rua?
ANGELA: Sim! É ela mesma, estava namorando um rapaz, depois ficou grávida e o cara desapareceu, ela só tem 13 anos, seus pais estão separados, sua mãe trabalha fora e ela ficava o dia todo em casa com seu namorado assistindo TV. Agora não sabe o que vai fazer da vida, ainda nem contou para sua mãe.
RODRIGO: Também ela sai com todo mundo, vai ver nem sabe quem é o pai.
ANGELA: (fica brava) Ela sabe sim! É o Paulo, aquele seu amigo que lhe emprestou s revistas.
PAI: Filhos a sexualidade está em todos os seres vivos, e é muito importante, além de ser uma coisa boa. Mas os seres humanos passaram a ver apenas um aspecto do seu corpo e o praticam fora do casamento que é  errado.
MÃE: É verdade! As novelas, os programas de TV, propaganda... induzem a sexualidade prematura, cria em todos uma fantasia que muitas vezes não condiz com a realidade. Aquelas novelas malhação, rebelde, balacobaco e outras que vocês adoram assistir, os jovens e adolescentes se entregam às outras sem existir amor, sem responsabilidade e fora do casamento...
PAI: É as consequências vocês já conhecem, como o exemplo de sua amiga, gravidez indesejada, abortos e perda da juventude e infância.
Cenário II – empregada chega limpando a sala
EMPREGADA: (com certa liberdade) Que bonito, a família toda reunida, qual é a novidade? Aconteceu alguma coisa/ qual dois aprontou no colégio desta vez? ahahah!
MÃE: Não aconteceu nada Maria! Estamos tendo uma conversa com nossos filhos, se não, você já viu...
EMPREGADA: É verdade dona Margarida, como dizia minha avó, - que Deus o tenha! Filhos criados trabalho dobrado. Mas espero que já tenham conversado, com licença, agora preciso limpar a sala.

Fim, todos se despedem e cumprimentam.


Informações curriculares do autor:
Jose Lopes de Oliveira é: Casado com a Missionária M. Elisete da S. Oliveira, tem quatro filhos, casados e três netos.
Formado em Segurança e Medicina do Trabalho, Pedagogia, Pós graduado em Psicopedagogia e Mestrado Inc.: em Educação, Administração e Comunicação. - UNIMARCOS
Pastor Batista, Missionário da Junta de Missões Nacionais,
Mestre em Ciência da Educação:formação de Professor - Universidad  Del Atlático - Barc.-Espanha.
Prof. de EBD, Superintendente de EBD, Pastor de Jovens em várias Igrejas.
Prof. de Ensino infantil, Fundamental e Médio,  Prof. Universitário de Filosofia da Educação, Psicologia e História da Educação.
Professor de Teologia, Missionário e orientador de reinserção de detentos da Ex- penitenciária da extinta Carandiru/SP – pavilhões 8 e 9.
Ex-Secretário da Associação Pró-moradia da Vila da Amizade em Jandira/SP.
Foi assessor de Gabinete do Prefeito de Itapevi.
Foi filiado ao PSC de Jandira onde foi candidato a Vereador.

(11) 974- 520 – 677 (Op. TIM)