Google+ Badge

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Sucesso Exige Lidar com Pressões- Por Robert D. Foster





Como você lida com as pressões do dia a dia, as demandas, exigências e dificuldades que confrontamos no decorrer de um típico dia de trabalho? Existe um dito popular que diz:“A vida não seria tão ruim se não fossem as pessoas”. Uma afirmação paralela poderia ser: “O trabalho não seria tão ruim, se não fossem as pressões”. 

Como exemplo consideremos a história surpreendente de Ervin Nyiregyhaz, húngaro de nascimento. Aos 2 anos de idade Ervin já extraia melodias de seu piano de brinquedo e aos 3 demonstrava afinação perfeita. Aos 4 escrevia suas próprias composições musicais. Ele tocou com a Sinfônica de Berlim aos 12 anos e aos 15 se apresentou diante dos reis da Noruega. Aos 17 fez uma aparição histórica no Carnegie Hall em Nova Iorque. Algumas das maiores autoridades em música do mundo começaram a compará-lo a Mozart. 

Porém, com vinte e poucos anos, ele misteriosamente desapareceu. Era como se tivesse desaparecido da face da terra. Durante anos ninguém soube o que havia se tornado aquele maravilhoso e único prodígio musical. 

Se consultarmos a lista dos maiores pianistas do mundo, não vamos encontrar nela Ervin Nyiregyhaz. Muitos pianistas consagrados jamais ouviram falar dele. Aos 75 anos Ervin reapareceu em São Francisco, Califórnia, privado de recursos, vivendo num hotel barato e dando concertos gratuitos no edifício de uma pequena igreja afastada. Ele admitiu ter 700 composições preservadas em microfilme, mas nenhuma fora publicada. Nessa idade finalmente ele sentou-se ao piano e começou a gravar sua música para a posteridade, frequentemente tocando seleções pela primeira vez, 55 anos após tê-las escrito.

“O que aconteceu com o Ervin?”, você pode perguntar. Ele simplesmente não soube lidar com as pressões do cotidiano. Pressão do casamento e relacionamentos; tensão emocional do mundo da música; o imenso peso do sucesso e da fama; tudo isso cobrou um preço mental e emocional, que o levou a abandonar tudo e desaparecer. Na Bíblia, o apóstolo Paulo usa a palavra grega “thlipis” que significa “pressão sob estresse físico e emocional”. Era esse o termo usado para descrever “o esmagamento da uva para extrair suco”. 

Aparentemente o magnífico pianista Ervin acreditava que tinha que lidar com suas pressões sozinho. Os seguidores de Cristo têm uma abordagem diferente. Paulo escreveu: “...Nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem paciência, a paciência traz a aprovação de Deus e essa aprovação cria esperança. Essa esperança não nos deixa decepcionados, pois Deus derramou o seu amor no nosso coração, por meio do Espírito Santo que ele nos deu” (Romanos 5.3-4). 

Pessoas, empreendimentos e causas nobres são arruinados mais por falta de paciência do que por falta de habilidade, conhecimento e energia. Quando perdemos a paciência, perdemos fé em Deus, em nós mesmos e nos outros. Impaciência gera desânimo, levando o homem tanto para atividades mal avaliadas quanto para apatia entorpecente. 

A Bíblia nos oferece este alerta: “Entregue os seus problemas ao Senhor, e ele o ajudará; ele nunca deixe que fracasse a pessoa que lhe obedece” (Salmos 55.22). 

1.    Como você reage à pressão? Você é mais produtivo e eficiente quando se encontra sob pressão ou ela faz com que você se sinta desanimado, ineficiente ou até mesmo desmoralizado?
2.    Qual é a maior pressão com a qual você tem que lidar regularmente?
3.    Você já enfrentou um problema – circunstância avassaladora em sua vida – que o tentou a abandonar tudo como Ervin fez? Se estiver enfrentando algo assim neste momento, não desista. Busque ajuda!
4.    Faz sentido para você a sugestão de Paulo para nos “regozijarmos em tribulações e problemas”? Por quê?
Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Isaías 41.10; Mateus 11.29-30; Filipenses 4.6-9; II Timóteo 1.7; Tiago 1.2-5; 1Pedro 5.7. 

--