Google+ Badge

sábado, 24 de dezembro de 2011

A PALMADA

Acaba de ser aprovada na Câmara dos Deputados uma PLC que proíbe os pais a darem palmadas nos seus filhos. Na exposição de motivos do citado projeto reside a tese de que “violência gera violência”. Creio que ninguém dentro dos padrões da razoabilidade seria a favor de quaisquer práticas violentas contra o próximo, muito menos quando este é um dos “pequeninos” de Jesus. Todo tipo de violência deve ser coibida incontinente. 

Os cristãos sempre foram em defesa da paz. Martin Luther King, Jr, pastor batista, é conhecido pelo seu discurso de ação contundente mas pacífica. Nosso Mestre Jesus nos ensina a darmos a outra face quando formos agredidos. Os cristãos costumam saudar-se uns aos outros com “A paz do Senhor”. Deus é também conhecido como “Jeová Shalom” (o Deus da paz). 


Portanto, não há como rasgar o tecido que une o seguidor de Jesus aos ternos da paz. Ser evangélico é abominar a violência e tornar-se atalaia da paz, paladino em defesa dos homens, causídico dos inocentes, advogado das crianças. A epístola de Tiago chega a afirmar que a verdadeira religião é visitar os órfãos. “A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” (tg. 1:27).Ou seja, uma das principais vocações da fé é cuidar das crianças, principalmente se forem destituídas, devidos às vicissitudes da vida, de consolo e presença paternas. Não há como desvincular a fé ao amor ao próximo e ao zelo para com os de menor maturidade. Caso isso acontece, poderemos ser questionados se estamos vivendo uma religião pura realmente ou se ela não está eivada de nulidades e manchas que atestem sua falsidade.  Veja o que Jesus disse sobre os infantes e seu cuidado para com eles: “Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar”. (Mateus 18:6)

            Não obstante a realidade do que fora até aqui dito, ninguém pode se imiscuir em relação aos instrumentos educativos familiares e métodos utilizados pelos pais para disciplinar seus filhos. A Bíblia é rica em orientar os pais a criarem seus filhos em submissão e obediência, e indica, inclusive, o uso de correção física para tal.   

“Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno. 
(Provérbios  23:13-14)
“A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela”. (Provérbios 22:15)
“O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga”. 
(Provérbios 13:24)
A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe. (Provérbios 29:15)

            É claro que não se está falando aqui em agressões violentas, como: socos, murros, choques, ferimentos, tortura. Tudo isso é diabólico e já está contemplado com tipos penais apropriados a sua repressão. O que a Palavra de Deus nos orienta é que em determinadas situações os pais podem utilizar de maneira moderada e temperada pelo bom senso do castigo físico: as conhecidas palmadas. 

O sacerdote Eli foi alijado do seu ministério porque deixou de disciplinar seus filhos. Talvez fosse um dos modernos de sua geração, delegando os cuidados de sua prole a terceiros ou fosse um dos sequazes da “não disciplina”. 
Se o Estado quiser se imiscuir nesta seara da vida dos cidadãos vai cometer grande erro. Primeiro, porque os cristãos que levam a Bíblia realmente a sério não se deixarão levar por leis que contrariem as Escrituras; segundo: ao se sentirem ameaçados, alguns pais, deixarão seus filhos ao bel prazer de suas vontades, muitas vezes equivocadas, forçando a educá-los sem meios coercitivos e onde não há algum tipo de coação não há ordem. Isso é princípio inclusive na política pública. A tese da anarquia nunca vingou, mas querer Proudhonizar agora as famílias é incorrer em enorme risco à saúde da sociedade. 

            Fui criado por pais extremamente zelosos e amorosos. Minha família é para mim fonte de inspiração. Um lar com um pai completamente dedicado e uma mãe que praticamente investiu seus dias em nosso favor. Contudo, não por somente uma vez, fui castigo com palmadas. Muitas vezes, senti as dores das palmadas paternas, que não objetivava o meu sofrimento, mas minha educação e correção. Mas coitado de meu pai, se esse Projeto de Lei estranho fosse aprovado em sua juventude: teria que ir ao psiquiatra e fazer acompanhamento psicológico e eu teria que ser alvo de estudos e terapia para tirar o meu trauma. Mas que trauma? Eu não tenho trauma nenhum, mas um imenso, enorme, soberbo amor por meus queridos pais. Se eles fossem punidos pelo bem que me fizeram, iria pedir às autoridades que me fizessem estar condenado ao lado deles para todo sempre, pois sempre foram, debaixo de Deus, e ao lado de esposa e filho, meus melhores amigos. Obrigado, meu pai, pelas palmadas nas horas certas.
           
Aquele que não fazer uso nalgumas situações de castigos físicos serão envergonhados mais tarde por seus próprios filhos. Sem disciplina e coerção não há ordem. Talvez, os nossos deputados não se deixarem aperceber acerca do que estavam votando, quiçá os representantes dos Estados possam se dar conta da importância do tema e não se deixem levar por sofismas e teses destituídas de rigor científico defendidas por atores, atrizes e animadores infantis, que sabem fazer rir, chorar e falar diante do grande público, mas que não são autoridades em diversas outras áreas. 
Vamos fazer uma pesquisa profunda. Vamos ver casos de homens de bem que receberam palmadas de seus pais, vamos analisar melhor, vamos olhar para algumas famílias estruturadas e pesquisar, vamos ser rigorosos e não nos deixar levar por algumas defesas de amadores da pedagogia.
Agora, imagine uma coisa: O estado quer impedir a punição dos filhos, mas vai punir aqueles que infringirem a lei. Uma incoerência. Que tal se caminhássemos na mesma direção. Se o pai não pode punir o filho, que tal o estado não punir os malfeitores? Mas se cometer o “desatino” de dar uma palmada na minha criança por amor, serei punido. Se punir é errado, abram-se os presídios, tirem as multas de trânsito, queimem-se os juros, baixem-se as hipotecas. Mas muitos que lotam os presídios, foram punidos hoje por não terem sido na infância, ou então foram criados por homens destituídos de sabedoria que não davam palmada, mas os violentavam.

Oro a Deus para que não seja aprovada essa proposta no Senado Federal e proponho que se faça a substituição do texto para que fique claro que palmada e castigos não violentos não são agressões a crianças. Que Deus auxilie os nossos governantes...


Fonte:Tarquino

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

LINGUAGEM DO NOVO TESTAMENTO OU GREGO BÍBLICO - KOINê




Cerca de uma semana estive conversando com meu primeiro Filho Jeferson Lopes e meu genro Marcos Cipriano sobre as  diversas  línguas  ao ponto de se tornar bastante calorosas, chegando ao clímax de se perguntar durante o diálogo, e qual era a língua que foi usada na bíblia no tempo de Jesus.

Depois de muito debate em busca de várias linhas de pensamento, nos demos de encontro com o Grego Koinê, palavra que significa simplesmente linguagem comum ou dialeto comum a todos.

Os estudiosos deste assunto não têm chegado ainda, a uma uniformidade quanto à exata extensão desta palavra.

O termo quer significar a linguagem comum do povo entre os período de 300 a.C e 330 a.D, não se pense numa língua de pessoas incultas, porque koinê se referia tanto à linguagem falada, quanto à literária escrita.

O nome Koinê significa: a língua única, comum, que substituiu, nesse período, a pluralidade original dos dialetos gregos. Como base da koinê considera-se hoje, geralmente, o dialeto ático, enriquecido quanto ao vocabulário,com elementos dos demais dialetos, sobretudo o iônico.

Pelas expedições militares de Alexandre Magno no Oriente, essa língua espalhou-se, criando uma unidade cultural de cara´ter mais permanente do que efêmera unidade política fundada pelo conquistador.

Foi essa língua que por uma simplificação paulatina em comparação com o grego clássico e por pluriformidade bastante rica foi eminentemente apta para se tornar a língua internacional do período helenístico, facilitando certamente, e não pouco, a expansão do cristianismo.

Nesse dialeto escreveram Plutarco, Políbio, Filo, Josefo; nele foi escrito a Septuaginta e o Novo Testamento.

O grego se tornara a linguagem universal do Império romano; pois mesmo onde se falava o latim, as pessoas cultas usavam o grego como uma segunda linguagem.

Há sensíveis diferenças entre o grego clássico e o koinê. Entre estas podem ser destacadas:
a) Diferenças fonéticas e ortográficas: idêntico valor fonético  ático tornando-se tendência para desaspiração;
b) Vocabulário - criação de novas palavras, especialmente - compostas; Novo significado a velhas palavras. Empréstimos de plavras de línguas estrangerias;
c) Sintaxe - a simplicidade da frase é evidente pelo uso de sentenças mais curtas.

Incremento no uso das preposições:

O neutro plural pode ser usado com o verbo tanto no singular como no plural; desaparecimento do dual e diminuição sensível do modo optativo.

N linguagem do Novo Testamento há ainda uma diferença que não pode ser desprezada. Sendo que todos os seus escritores  eram judeus, com exceção talvez de Lucas, escrevendo em grego, eram influenciados pela sua língua materna. - Erasmo afirmou que o grego do Novo Testamento estava corrompido de hebraísmos em palavras e idiotismos.  Esta afirmação foi contestada por H. Stephens no prefácio ao N.T (1546) procurando provar que o grego dos inspirados escritores era puro e idiomático.

Notável polêmica se levantou entre dois grupos, mas a discussão morreu, quando um deles apresentou provas concludentes da existência na linguagem do N.T. de um sabor hebraico.

Schaff disse que o grego falado pelos judeus gregos assumiu um caráter fortemente hebraizante, e o grego do N.T participa deste caráter sagrado w hebraizante.

Os escritores do Novo Testamento sofreram uma influência muito profunda, mesmo preponderante, da literatura hebraica, de cujo espírito participam. Por mais que Paulo tentasse construir períodos gregos, caía inconscientemente no ritmo semítico; e o Evangelho de João, embora escrito em koinê  correta,pode talvez ser considerado a obra prima do gênero literário semítico.

Houve um tempo quando alguns estudiosos defenderam que o grego do N.T era uma linguagem especial preparada pelo Espírito Santo para receber os escritos divinos. Esta idéia foi contestada por argumentos convincentes que provaram que o grego do N.T não foi "língua sagrada".

O grego do N.T é a linguagem corrente no período em que ele foi escrito, mas influenciado pela Septuaginta - versão do V.T para o grego por judeus - e ainda com mistura de palavras e frases aramaicas, latianas, persas, egípcias entre outras.

Fonte: Histórica contemporânea -  Atica
Apontamentos das aulas de grego Seminário Betel São Paulo
apontamentos das aulas de grego  Instituto Adventista Pedro Apolinário
Gramática grega - Wallace - EBR







                     

    
                                                    



                                                                                              Pr. Jose Lopes  de Oliveira
               Pedagogo/ Psicopedagogo/ Téc em Seg Trab. Bel em Teologia/ Prof Univrs. Miss da JMN/CBB

       A semente foi lançada, basta cultivá-la para colhermos bons frutos.

Vá ao povo, viva entre as pessoas. Ame-as. Comece pelo que sabem. Construa com  o que têm. E quando os melhores líderes surgirem, as pessoas dirão: - fomos nós mesmos que fizemos isto. 


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

DEUS TRABALHA PARA REPRODUZIR EM SEUS SERVOS O SEU CORAÇÃO DE COMPAIXÃO PELOS POVOS


A maneira como Deus inicia e termina suas obras é sempre positiva e nunca negativa. Jn 4;6-7
A vida e o ministério de Jonas ilustra e testifica essa verdade. Jn 1-4:11
A salvação vem do Senhor mediante a graça Jn2:8-9; Ef. 2:8-9
Mesmo sendo infiel, pode-se receber o perdão de Deus. Jn 3:1-5; Rm 5:8

Tudo o que Deus faz é perfeito. a paz tem sido o árbitro que nos revela se estamos ou não fazendo a vontade do Senhor.
O que Deus deseja, acima de tudo, é que tenhamos um relacionamento íntimo com Ele. então, provavelmente veremos  muitos se achegarem a fé em Deus. Jn.1:13-16

A religiosidade é incapaz de nos oferecer a intimidade com Deus. isso só é possível mediante um relacionamento.

Então recebemos de Deus um momento e um lugar para que possamos avaliar o assunto. Jn 1:17

Para termos  uma comunhão profunda com Deus, é imprescindível que baixemos a guarda. romper as barreiras, abrir o nossoS corações e nos expor cada vez mais. Avançando para um novo nível de liberdade pessoal. Jn.2:10

Isso implica falar a verdade com amor e dizer adeus ao lema da "Paz a qualquer preço' Jn 4.5

As barreiras de Jonas achavam-se de pé quando relutava com Deus. ele tinha preconceitos no coração Jn.3:10 - 4:1-3

Lembram-se da  Mulher Samaritana!? Jo. 4:9-30. Quanto mais o Senhor lhe falava ela ia baixando a guarda, Jesus era capaz de se revelar a ela. Deus era capaz de se revelar a Jonas e a todos Jn.4:11

Jesus afirmou que se perdêssemos a nossa vida por causa dele, nós a acharíamos. Se os princípios que você utiliza para estabelecer o seus alvos de vida não estiverem alinhados com a Palavra de Deus, então é hora de rever sua direção.
Não há como desenvolvermos intimidade com alguém se criarmos barreiras, erguermos  nossas  defesas e fecharmos o coração, a mente e o espírito. Para que possamos alcançar intimidade, temos de estar aberto. Assim, desfrutaremos da parceria com Deus Jn. 3:1-9

Essa abertura só é possível se nos expusermos. Toda vez que fechamos uma porta, impedimos a nossa exposição. Contudo, quando abrimos alguma porta da nossa vida, nós nos expomos e teremos a satisfação de ver vidas transformadas Jn.3:10

Jesus Cristo veio ao mundo a fim de que pudéssemos entrar no Reino de Deus,  e para que esse reino pudesse nascer dentro de nós Jo.1:12
Veio para que nós, por intermédio dEle, pudéssemos desfrutar um relacionamento com o Senhor e gozar de uma união capaz de substituir ao tempo e a própria eternidade.

Deus estava ensinando a Jonas que para ser vencedor, era necessário triunfar sobre o preconceito, a rejeição, a oposição dos outros, a ansiedade, a falta de esperança, a depressão e a perseguição. Jn 1:4

Deus estava ensinando a Jonas, que era necessário passar por cima de tudo isso e ser capaz de submeter ao Senhor Jn. 3:1-3
Por meio da sua submissão, a transcendente glória de Deus se manifestou na vida de Jonas e de todos os envolvidos  naquele episódio. Pois "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam ao Senhor, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" Rm 8:28

TRÊS VERDADES QUE O CRISTÃO PRECISA SABER EM JONAS.
1ª)  A salvação pertence a Deus Jn. 2:9b;
2ª) Deus é misericordioso Jn. 4:2;
3ª) Deus pode usar até mesmo um servo relutante Jn.3:1-3

portanto, não importa o que esteja passando. é necessário pregar  a Palavra com a idéia de pastoreio e cuidado  com os fiéis.

Que Deus continue iluminando o seu entendimento, sua vida, família e ministério.

Pr.  Lopes Missionário da JMN/CBB em Freguesia do Ó/SP





sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

JESUS ENSINA SOBRE SI MESMO


Graça e Paz.

Estamos certos de que a vida deixa muitas dúvidas, e tomar decisões pode ficar bem difícil. As coisas ficam mais fácies quando contamos com amigos. Nós queremos ajudar você a encontrar respostas.
Sabemos que as melhores respostas estão no Livro de Deus. Na Bíblia, Deus dá respostas para nossas dúvidas e orientações para nossas decisões.

 - Jesus ensina que ele é Filho de Deus e é igual a Deus


c)      As suas próprias palavras: Leia: João 3.13, 31; 8.23, 42; 10.30; 12.44,45; 14.7-11

 Nesses textos Jesus declara:

1.       Que ele é Filho de Deus
2.       Que ele é igual a Deus
3.       Que foi Deus quem o enviou
4.       Que ele veio de cima
5.       Que ele não é deste mundo
6.       Que quem vê a ele vê o Pai e
7.       Que ele e o Pai são um só.

Ø  Para discutir em classe:

a)      Jesus é quase igual a Deus ou ele é exatamente igual a Deus?
b)      Como Jesus é igual a Deus se a Bíblia afirma que há um só Deus?
c)      Como você explica que Jesus é Deus e homem ao mesmo tempo?
d)      Como você entende a trindade: Pai, Filho e Espírito Santo?


e)      A história do seu nascimento - Leia: Mateus 1. 18-25; Lc 1.30-35


f)        As palavras do Pai - Leia: Mateus 2.15; 3. 13-17; 17.1-8 (veja o versículo 5)

g)      As palavras daqueles que viveram com ele - Leia: Mateus 14.22-33; 16.13-16; João 1.32-34; João 11.25-27; João 20.26-28

1.      Os milagres de Jesus indicam que ele era de fato o Filho de Deus. Leia: João 5.36

2.      Os próprios demônios reconheceram que Jesus era o Filho de Deus.

 Leia: Mateus 8.28-34; Marcos 1. 21-28; Marcos 3.7-12; Lc 4.40,41; Leia também: At 19.11-16


3.      O mundo não reconheceu que Jesus era o Filho de Deus. Leia: João 1.10,12

4.      Os chefes dos judeus não reconheceram que Jesus era o Filho de Deus.

 Leia: João 5. 37-40; 8.54-59


2.      Jesus ensina que ele era o Messias que Deus havia prometido enviar ao mundo.

Ø  A palavra Messias, na língua em que o Velho Testamento foi escrito, a língua hebraica, língua dos judeus, significa “Ungido”. Na língua grega, a língua do Novo Testamento, esta palavra foi traduzida pela palavra “Cristo”. Por isso, no Novo Testamento, Jesus é chamado Jesus Cristo, que quer dizer, Jesus o Ungido de Deus, ou Jesus o Messias. Portanto, as palavras Messias, Ungido e Cristo, querem dizer a mesma coisa, ou seja, aquele que foi escolhido e enviado por Deus. No Velho Testamento, quando um rei, um sacerdote ou um profeta eram escolhidos por Deus, eles eram “ungidos”. Um profeta chegava com um chifre cheio de azeite e derramava o azeite sobre a cabeça do escolhido. Este era o sinal de que aquela pessoa havia sido escolhida por Deus. Quando os judeus falavam sobre o Messias, eles falavam de alguém que tinha sido "ungido” por Deus para ser Rei, Profeta e Sacerdote e que um dia seria enviado por Deus a este mundo. O judeus estavam sempre esperando o dia da chegada do Messias prometido, mas eles estavam esperando um Rei poderoso, assim como se fosse um general de guerra, para livrar a nação dos judeus do poder do Império Romano. Quando Jesus veio, humilde e montado em um jumentinho, eles não acreditaram que ele fosse o Messias prometido por Deus. Por isso eles rejeitaram a Jesus. Até hoje os judeus continuam esperando a chegada do seu Messias. Mas aqueles que aceitaram Jesus, tiveram a prova de que ele era mesmo o Messias prometido. O Velho Testamento está cheio de promessas da vinda do Messias e o Novo Testamento está cheio de provas de que Jesus, apesar de vir humilde, em sua primeira vinda, ele é o Messias prometido. Um dia, ele virá, uma segunda vez, em poder e glória, destruindo todo mal e todos os seus inimigos. Daí, os judeus, que estiverem vivos naquele dia, irão acreditar nele também. 

a)      Jesus mesmo se declara o Messias prometido. Leia: Mateus 11.2-6; Lucas 4. 16-21

b)      As profecias do Velho Testamento sobre a vinda do Messias e como elas se cumpriram no Novo Testamento:

(1)   Ele é o descendente da mulher que iria esmagar a cabeça da serpente.

Leia: Gênesis 3.15; Lucas 10.19; Leia também: Colossenses 2.15

(2)   Ele é o descendente de Abraão, no qual todas as nações da terra seriam abençoadas.

Leia: Gênesis 12. 1-3; Leia também: Gálatas 3. 8,9,13,14,16.


(3)   Ele é o profeta igual a Moisés que Deus iria enviar aos israelitas.

Leia: Deuteronômio 18.15; Leia também: Atos 3. 21-24


(4)   Ele é o filho de Davi que deveria assentar em seu trono para sempre.

Leia: 2 Samuel 7. 12,13; Mateus 1.1; Leia também: Atos 2. 29-36

                                                                                                            
(5)   Ele é o Rei que iria nascer na cidade de Belém.

Leia: Miquéias 5.2; Mateus 2. 1-6



(6)   Ele é aquele que iria nascer de uma virgem.

Leia: Isaias 7.14; Mateus 1.20-23

Ø  Note, nos versículos acima, nos itens (1) a (6), como Jesus cumpriu, palavra por palavra, todas as profecias do Velho Testamento sobre a sua vinda como o Messias, o Ungido de Deus.


3.      Jesus ensina sobre a sua morte, ressurreição e sua volta para o céu

a)      Ele iria ser morto, mas, iria ressuscitar depois de três dias.

Leia: Mateus 16.21; 17.22,23; Marcos 9.31; 10.32-34; Lucas 18.31-34


b)      Ele iria voltar para o Pai. Leia: João 13.3; 14.1-4


4.      Jesus ensina sobre a sua segunda vinda 

a)      Ele prometeu que vai voltar. Leia: João 14. 2-4

b)      Ele voltará do mesmo modo como subiu. Leia: Atos 1.9-11
c)      Ele voltará pessoalmente, com poder e grande glória. Não vai ser uma imitação, vai ser ele mesmo. Todos vão poder vê-lo abertamente e saber que é ele mesmo.

Leia: Mateus 24. 23-27 e 29-31; Leia também Apocalipse 1.7

d)      Ninguém sabe a hora em que Jesus vai voltar. Somente Deus sabe. Por isso, ninguém pode marcar a data. Quem marcar uma data, certamente vai errar. Leia: Mateus 24.36

e)      A volta de Jesus acontecerá de repente, sem ninguém esperar. {Nõkwa sô smĩpar kõ re,  za krẽwatobr}. Muita gente vai ser apanhada de surpresa, como foi nos dias de Noé.


Leia: Mateus 24. 37-39; 43,44

f)       Antes de Jesus voltar vai haver muito sofrimento no mundo. Leia: Mateus 24.3-13



g)      Antes de Jesus voltar o evangelho será pregado no mundo inteiro. Leia: Mateus 24. 14

h)      Quando Jesus vier ele nos levará consigo, para estarmos sempre junto com ele. Lá, nós vamos poder ver Jesus e conhece-lo de perto.

Leia: João 14. 3 e 17.24; Leia também 1 Tessalonicenses 4.13-18 e 1 Coríntios 15.51-57


i)        Quando Jesus vier ele separará os crentes dos descrentes. Os crentes serão levados para o lugar de alegria onde viverão para sempre, mas os descrentes serão mandados para o lugar de sofrimento, onde receberão o castigo para sempre.

Leia: Mateus 25.31-46; Leia também 2 Tessalonicenses 1.5-8

5.      Jesus ensina como o crente deve esperar a sua volta

a)      O crente deve esperar a volta do Senhor Jesus em oração e deve manter sempre a luz de seu testemunho acesa.

Leia: Mateus 25.1-13; Leia também 1 João 2.28


b)      O crente deve esperar o Senhor Jesus trabalhando para ele de todo o coração.

Leia: Mateus 24.45-51 e 25.14-30





 – Jesus ensina que ele é Filho de Deus e é igual a Deus


1)      Marque com “x” as respostas certas:

[  ] O Pai e o Filho são diferentes um do outro

[  ] Jesus é quase igual a Deus

[  ] Jesus é igual a Deus. Ele é o Filho de Deus

[  ] O Pai e Filho são um só


2)      Coloque um “V” (verdadeira) nas declarações certas e um “F” (falsa) nas declarações erradas

[  ] Deus, o Pai, disse que Jesus era o seu Filho amado

[  ] Todas as pessoas que ouviram a palavra de Jesus acreditaram que ele era o Filho de Deus

[  ] Jesus mesmo disse que ele era o Filho de Deus

[  ] Os demônios não sabiam que Jesus era o Filho de Deus

[  ] O judeus acreditaram logo que Jesus era o Filho de Deus e o proclamaram Rei

[  ] Os discípulos só descobriram que Jesus era o Filho de Deus depois que ele ressuscitou.

[  ] Tomé foi o primeiro discípulo que acreditou que Jesus era o Filho de Deus

[  ] Os discípulos acreditaram que Jesus era o Filho de Deus quando ele ainda estava aqui na terra  com eles por causa da sua Palavra e dos milagres que ele fazia


3)      Complete as frases abaixo:

·         Eu e o Pai somos ______ (João 10.30)

·         Aquele que era a Palavra veio para o seu próprio _____, mas o seu _____ não o recebeu (João 1.10,11 (NTLH)

·         Aqueles que creram em Jesus e o receberam, ganharam o direito de se tornarem __________
______  (João 1.12)


4)      Associe as ideias abaixo

Jesus é igual a Deus                                   Meu Senhor e meu e Deus

Os judeus rejeitaram Jesus                          Você veio para nos destruir?

Tomé acreditou em Jesus                           Eu o Pai somos um

Os demônios conheciam Jesus                    Eles pegaram pedras para atirar em Jesus



– Jesus ensina que ele era o Messias que Deus havia prometido enviar ao mundo


1.      Marque com “x” as respostas certas:

[  ] Messias era o nome que José e Maria deram para Jesus quando ele nasceu

[  ] A palavra Messias significa Ungido, que é mesma coisa que Escolhido

[  ] Jesus é chamado Messias porque ele foi ungido por Deus. Quer dizer, ele foi escolhido por Deus

[  ] As palavra Messias, Ungido e Cristo, são a mesma coisa. Todas se referem a Jesus


2.      Coloque um “V” (verdadeira) nas declarações certas e um “F” (falsa) nas declarações erradas

[  ] Os crentes do Velho Testamento não sabiam que um dia Deus iria mandar um Salvador

[  ] Deus disse à serpente que o descendente da mulher iria esmagar a cabeça dela

[  ] Deus disse a Abraão que no seu descendente seriam abençoados todos os povos do mundo

[  ] Deus disse a Moisés que um dia iria mandar um profeta semelhante a ele

[  ] Deus disse a Davi que o seu descendente iria assentar em seu trono para sempre

[  ]  Deus disse a Miquéias que o Messias iria nascer na cidade de Jericó

[  ] Deus disse a Miquéias que o Messias iria nascer na cidade de Belém

[  ] O profeta Isaias não sabia se o Messias iria nascer de uma virgem ou se iria nascer de uma mulher casada.


3.      Complete as frases abaixo:

·         E por meio de você eu ________________ todos os povos do mundo (Gênesis 12.3)

·         Jesus nasceu na cidade de ___________ da terra de ________ (Mateus 2.6)

·         A _________ ficará grávida e terá um filho que receberá o nome de ____________ (Mateus 1.23)


4.      Associe as ideias abaixo

O descendente da mulher                           Assentar em seu trono para sempre

O descendente de Abraão                          Belém da Judeia

O descendente de Davi                              Esmagar a cabeça da serpente

Cidade onde Jesus nasceu                           Abençoar todos os povos do mundo



 – Jesus ensina sobre sua morte, sua ressurreição e sua volta para o céu

1.      Marque com “x” as respostas certas:

[  ] Jesus não sabia que ele iria morrer numa cruz e que depois iria ressuscitar

[  ] Jesus falou várias vezes para os discípulos que ele iria ser morto numa cruz

[  ] Jesus ressuscitou dos mortos e foi visto primeiro pelas mulheres, depois por todos os discípulos

[  ] O povo conta que Jesus subiu de volta para o céu, mas ninguém viu ele subir


2.      Coloque um “V” (verdadeira) nas declarações certas e um “F” (falsa) nas declarações erradas

[  ] Do jeito que Jesus falou para os discípulos, aconteceu. Ele foi morto numa cruz e depois de três dias, ressuscitou dos mortos

[  ] Os discípulos correram na frente das mulheres e chegaram primeiro para ver Jesus sair do túmulo

[  ] As mulheres foram ao sepulcro primeiro que os homens e elas viram Jesus ressuscitado

[  ] Os discípulos tiveram uma visagem de um homem subindo ao céu numa nuvem, mas aquele homem não era Jesus

[  ] Jesus subiu de volta ao céu e uma nuvem o encobriu dos discípulos

[  ]  Jesus disse aos discípulos que tinha que voltar para o Pai

[  ] Jesus voltou para o céu para preparar lugar para aqueles que crêem nele

[  ] Quando Jesus voltar ele vai levar consigo os crentes para morarem onde ele está agora

3.      Complete as frases abaixo:

·         Jesus disse que ele seria _________ pelos homens, mas que depois de _____ dias ele iria _________________ (Marcos 9.31)

·         Jesus disse que iria _____________ lugar para os discípulos (João 14.3)

·         Jesus disse: “...voltarei e os _________ comigo para que onde eu estiver vocês  ____________ também” (João 14.3)


5.      Associe as ideias abaixo

O Filho do Homem será morto                                Vou preparar lugar para vocês

Três dias depôs ele ressuscitará                              Onde eu estiver vocês também vão estar

Na casa de meu Pai há muitas moradas                  Em seguida os saldados o crucificaram

Voltarei e os levarei comigo                                   Ele não está aqui, mas foi ressuscitado




 Jesus ensina sobre sua segunda vinda

4.      Marque com “x” as respostas certas:

[  ] É certo que Jesus voltará antes do ano 2020

[  ] Ninguém sabe o dia e a hora em que Jesus vai voltar

[  ] Jesus vai voltar escondido e ninguém vai ficar sabendo que ele já chegou aqui na terra

[  ] Quando Jesus voltar todo mundo vai vê-lo assim como todo mundo vê o relâmpago quando ele cai do céu


5.      Coloque um “V” (verdadeira) nas declarações certas e um “F” (falsa) nas declarações erradas

[  ] Quando Jesus voltar ele vai encontrar todas as pessoas do mundo andando direito

[  ] Antes de Jesus voltar vai haver muitas guerras e muito sofrimento na terra

[  ] Antes de Jesus voltar ele vai dar um aviso que é para as pessoas ficarem esperando ele chegar

[  ] Jesus vai voltar de repente e muita gente vai ser apanhada de surpresa como foi nos dias de Noé

[  ] Quando Jesus voltar ele vai dar a salvação para aqueles que acreditaram nele e vai dar o castigo para aqueles que o rejeitaram

[  ]  Jesus vai voltar humilde, do céu, montado em um jumentinho

[  ] Jesus vai voltar do céu, sobre as nuvens, com poder e grande glória

[  ] Quando Jesus voltar Satanás será derrotado de vez e não haverá mais pecado no mundo


6.      Complete as frases abaixo:

·         Porque assim como o relâmpago risca o céu do _____________ até o ___________assim será a _______ do Filho do Homem (Mateus 24.27)

·         Ele porá os ________ à sua direita e os _______ à esquerda (Mateus 25.33)

·         E Jesus terminou assim: - Portanto, estes irão para o __________ _________ mas os bons irão para a ________ ________ (Mateus 25.46)


6.      Associe as ideias abaixo

O Filho do Homem será morto                                Vou preparar lugar para vocês

Três dias depôs ele ressuscitará                              Onde eu estiver vocês também vão estar

Na casa de meu Pai há muitas moradas                  Em seguida os saldados o crucificaram

Voltarei e os levarei comigo                                   Ele não está aqui, mas foi ressuscitado


 7.      Aproveitamento:

Numa folha branca, à parte, com o seu nome e a data, enumere os itens e escreva o que você mesmo entendeu e que pode falar sobre os assuntos abaixo:

a)      Qual foi o ensinamento dessa lição que mais tocou em sua mente ou em seu coração?

b)      Se existia algum versículo da Bíblia que você não entendia bem antes e que ficou mais claro nessa lição, dê a referência dele e diga o que você descobriu

c)      Escreva o entendimento que você tem agora sobre Jesus como Messias enviado por Deus

d)      Escolha um dos versículos desta lição para memorizar. Escreva-o em sua folha e repita-o, sem olhar na Bíblia, para os seus colegas na classe ou para as pessoas em sua casa

 Bíblia e Cultura

 – Jesus ensina sobre si mesmo

1.      Será que se Jesus tivesse nascido no meio do nosso povo  teriam acreditado nele melhor do que os judeus? ________________________________________________________

2.      Você se lembra de algum mito de nossa sociedade que conta que Deus veio ao mundo e os seus não o reconheceram? Conte-o nas linhas a seguir: __________________________________________
_____________________________________________________________________________

3.      Será que os  mitos ainda existem?________________________________________________________

________________________________________________________________________

4.      Quem é maior e quem tem mais poder e autoridade Jesus ou os Lideres religiosos?__________________________________________________________________________

5.      Descreva a diferença que existe entre uma pessoa que acredita em Jesus somente de boca, por interesse, e uma pessoa que acredita de coração:  _______________________________________ _____________________________________________________________________________

Forte abraço, que Deus continue a iluminar o seu caminho e aperfeiçoe o seu aprendizado da Palavra.